DEBATE

As causas e consequências das mudanças climáticas debatidas por especialistas

Geraldo Freire conversou com os convidados sobre fenômenos climáticos e os impactos gerados na agricultura

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/10/2015 às 15:12
Leitura:
Foto: Reprodução


O debate da Super Manhã desta quarta-feira (28), tratou sobre as mudanças climáticas e suas consequências. A degradação do meio ambiente e o que isso traz de influências para o clima também foi assunto em pauta no debate. O comunicador Geraldo Freire recebeu o geógrafo Lucivânio Jatobá; o gerente de meteorologia da APAC, Patrice Rolando e a engenheira agrônoma da Embrapa, Alineaurea Florentino. Entre os assuntos, o período de secas, chuvas, desastres, temperatura e previsões climáticas.

O geógrafo Lucivânio Jatobá iniciou falando sobre o fenômeno “El Niño”, que trata-se de uma aquecimento nas águas do pacífico equatorial. “Quando há esse fenômeno, na fase moderada a forte, acontecem muitas chuvas nas regiões Sul e Sudeste, e pouca chuva nas regiões Nordeste e Norte”, disse. Ele comentou ainda que esses fenômenos mudam a circulação dos ventos na atmosfera.

A engenheira agrônoma da Embrapa, Alineaurea Florentino falou sobre a agricultura familiar e a exigência de uso de água artificial em algumas áreas específicas. “Nem sempre, no nosso semi-árido, temos as chuvas regulares, para que ocorra colheita adequada, sem irrigação”, afirmou. No caso da agricultura familiar, a engenheira disse ainda que o uso é feito de forma adequada para não haver perdas de exageros, diante do custo envolvido.

Com relação à questão climática, que repercute na produção agrícola, é o que vem preocupando os especialistas na área. Muito se fala quando a mudança climática global que está ocorrendo. De acordo com o geógrafo Lucivânio Jatobá, é indiscutível que a mudança existe. “Ninguém podem negar que não está havendo pelo menos uma oscilação climática no planeta. Agora, a grande questão é saber o que está determinando essa oscilação”, contou. O geógrafo contou que não despreza uma ação antrópica como motivo para essas mudanças. As ações antrópicas são aquelas derivadas de influências humanas. “Eu acho que a participação humana é, comparada com a coisa cósmica, infinitamente inferior. Há algo que está acontecendo na relação terra-sol, que está repercutindo nas ações climáticas”, contou.

Confira o debate na íntegra:

Mais Lidas