LAVA JATO

Condenado a 20 anos de prisão, defesa de Pedro Corrêa diz que "sentença se baseou em meras presunções"

Segundo denúncias, ele teria recebido R$ 40 milhões em dinheiro ilícito, entre 2004 e 2014

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 29/10/2015 às 15:09
Leitura:

O ex-deputado federal Pedro Corrêa foi condenado, nesta quinta-feira (29), pela Justiça Federal, a 20 anos e 7 meses de prisão, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

O advogado dele, Alexandre Loper, garantiu que vai recorrer da decisão. “Nós não consideramos a sentença fundamentada de forma correta. Nós continuamos entendendo que não há provas de corrupção”, defendeu Loper.

De acordo com o advogado, a sentença se baseou em meras presunções. “A sentença se baseou em meras presunções. A condenação cumulativa em corrupção e lavagem de dinheiro, se existissem provas, essa condenação vai contra a jurisprudência já firmada no Supremo Tribunal Federal (STF)”, completou.

Confira o depoimento do advogado em entrevista à Rádio Jornal:

A sentença foi do juiz Sérgio Moro e é referente à 11ª fase da Operação Lava-Jato. Além do pernambucano, foram condenadas outras duas pessoas. Pedro Corrêa era líder do Partido Progressista (PP) e responsável pelo repasse de propinas à sigla.

Segundo denúncias, ele teria recebido R$ 40 milhões em dinheiro ilícito, entre 2004 e 2014. Ele já havia sido condenado no processo do mensalão, em que cumpria pena de 7 anos em regime semiaberto.

Mais Lidas