Após protesto de moradores contra morte de criança, CBTU retira quatro trens de circulação

De acordo com a família de Max Mateus Antônio do Nascimento, de 11 anos, a criança foi atropelada e morta por um metrô

TRANSPORTE

Da Rádio Jornal

Foto: Arquivo/JC Imagem


De acordo com a família de Max Mateus Antônio do Nascimento, de 11 anos, o menino morreu depois de ser atropelado por um metrô, no trecho próximo a Escola Municipal Novo Recife, na Ilha Joana Bezerra, no final da tarde do sábado (7). Em protesto, moradores atearam fogo em pneus na linha férrea, neste domingo. Eles ainda lançaram pedras contra os trens e só pararam depois da intervenção da Polícia Militar.

Por causa das depredações, a CBTU reduziu a frota em quatro trens e intervalo entre as viagens vai passar de cinco para oito minutos. De acordo com a assessoria de imprensa do Metrorec, os passageiros vão ficar sem, pelo menos, 24 mil assentos. De acordo com o órgão, o prejuízo com os vidros quebrados das composições é calculado em R$ 35 mil reais. O gerente de Comunicação do Metrorec, Salvino Gomes, detalha os transtornos:

Sobre a morte da criança, o Metrorec diz que está analisando as imagens das câmeras laterais para ter uma posição oficial sobre a denúncia da comunidade.

TAGS

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

CONTINUE LENDO