POLÍCIA CIVIL

Depoimentos das vítimas serão essenciais para o rumo das investigações da Operação Hipócrates

Até o momento, oito pessoas foram presas, entre elas dois médicos, técnicos e auxiliares de enfermagem e recepcionistas

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 12/11/2015 às 16:26
Leitura:


A Polícia Civil aguarda a presença das vítimas na Operação Hipócrates desencadeada na madrugada dessa quarta-feira (11), em Caruaru, no Agreste do estado. A partir de agora, o depoimento de quem foi prejudicado pela quadrilha é essencial para o andamento das investigações.

Uma coletiva de imprensa foi realizada na manhã desta quinta-feira (12), na Delegacia Regional da cidade, no bairro Boa Vista, para a imprensa local. As informações são preliminares, já que algumas pessoas ainda podem ser presas.

O esquema desencadeou uma fraude quanto às cirurgias de trauma, principalmente no Hospital Regional do Agreste. Propositalmente, os pacientes entravam numa fila de espera para realizar uma cirurgia que deveria ser feita pelo SUS. Porém, durante este período, a família era orientada por profissionais do HRA a pagar pelo serviço que deveria ser de graça ou eram induzidos a fazer o procedimento na rede particular.

Núbia Silva traz outros detalhes:

A Operação Hipócrates prendeu, no total, oito pessoas, entre elas dois médicos, técnicos e auxiliares de enfermagem e recepcionistas.

O delegado Erick Lessa explica que nesse momento o depoimento das vítimas vai contribuir para o avanço das investigações. “Qualquer pessoa que seja paciente ou familiar e que tenha sido abordado com cobrança de valores para a realização de procedimentos cirúrgicos ou procedimentos médicos no interior do HRA ou fora do hospital devem nos procurar por que cada fato dessa natureza pode trazer um maior questionamento de outros inquéritos policiais”, destacou o delegado.

O promotor da Central de Inquéritos, Luiz Gustavo, diz que outros setores também da área de saúde passarão por investigações do Ministério Público.

Mais Lidas