DENÚNCIA

Pacientes com epidermólise bolhosa estão há seis meses sem medicação oferecida pela Farmácia do Estado

O curativo especial usado para amenizar a dor custa cerca de R$ 600 e não é disponibilizado na maioria das drogarias comuns

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 16/11/2015 às 7:13
Leitura:
A doença causa lesões na pele e provoca intensa coceira. Foto: reprodução/internet


A doença genética que atinge crianças, jovens e adultos é caracterizada pela fragilidade da pele e das mucosas. Mesmo sem ser contagiosa, os pacientes com epidermólise bolhosa têm que encarar o preconceito. Há dois anos, o neto da bailarina Deborah Colker foi vítima de discriminação num voo, que saiu de Salvador com destino ao Rio de Janeiro.

Em Pernambuco, a Farmácia do Estado é responsável pela entrega de um curativo especial que ameniza as feridas e a dor. No entanto, a última entrega ocorreu há seis meses e não existe prazo para a chegada do produto.

Uma caixa desse item custa mais de R$ 600, o que inviabiliza o orçamento das famílias dos portadores da doença. Presidente da associação que representa os pacientes, Maria de Fátima Correia, diz que é mais difícil para quem vem de longe em busca do produto:

A secretaria estadual de saúde deve se pronunciar nesta segunda-feira (16) sobre a falta do curativo especial para epidermólise bolhosa.

Mais Lidas