MOBILIZAÇÃO

Trabalhadores da Construção Civil prometem parar Pernambuco contra acidentes em obras

Funcionários entraram em greve nesta segunda-feira. Eles também pedem 20% de reajuste e jornada de trabalho de segunda a sexta

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 16/11/2015 às 10:52
Leitura:
Foto: Arquivo/Agência Brasil

Trabalhadores da Construção de Pernambuco realizam na manhã desta segunda-feira (16) atos em todo o Estado para marcar o período de greve. O primeiro deles aconteceu em frente da sede do sindicato que representa a categoria, o Marreta. Os funcionários decidiram decretar greve na última quarta-feira (11) durante assembleia geral. De acordo com o Sindicato da Construção Civil, 85% das obras estão paradas.

A mobilização envolve cerca de 120 mil operários que trabalham em mais de 500 canteiros de obras em todo o estado. Eles reivindicam reajuste salarial de 20%, a criação de um vale refeição no valor de R$ 200, jornada de trabalho de segunda a sexta, além de melhores condições de segurança.

De acordo com a presidente do Sindicato, Dulcilene Morais, a classe patronal disse que só vai negociar no ano que vem. "Se eles só vão negociar ano que em 2016, só vai ter obra em 2016", diz.

Dulce afirma que existe uma tentativa da classe patronal de driblar as leis trabalhistas. "Eles querem pegar 50 trabalhadores para fazer o serviço de 100. Isso a gente não vai permitir" Ainda de acordo com Dulcilene, de janeiro até outubro, o Ministério do Trabalho embargou cerca de 90 obras por apresentarem risco de morte aos operários.

Mais Lidas