SAÚDE

Ministério da Saúde revela que Pernambuco já tem 268 casos de recém-nascidos com microcefalia

Outros 131 casos foram registrados em Sergipe, Rio Grande do Norte, Paraíba, Piauí, Ceará e Bahia

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/11/2015 às 7:44
Leitura:
Cláudio Maierovitch, diretor do Ministério da Saúde, sugeriu a relação entre o zyka vírus e a anomalia congênita. Crédito: Fotos Públicas


Até agora, o Ministério da Saúde já confirmou 399 bebês em sete estados da Região Nordeste com microcefalia. Além dos 268 casos registrados em Pernambuco, as notificações também foram verificadas em Sergipe, Rio Grande do Norte, Paraíba, Piauí, Ceará e Bahia. As confirmações chegam a 102.

A partir desta quarta-feira (18), um formulário online vai agilizar a identificação dos casos de microcefalia. A condição genética faz com que o crânio do recém-nascido em idade gestacional normal tenha perímetro menor que 33 centímetros.

Todas as possibilidades para explicar a origem do surto estão sendo investigadas pelos epidemiologistas. Entre as hipóteses, a uma das mais investigadas é a relação com a zyka, tipo de doença semelhante a dengue. Exames identificaram o genoma do zyka vírus em amostras do líquido amniótico de duas gestantes da Paraíba.

Diante da gravidade do cenário, o Ministério da Saúde decretou situação de emergência em saúde pública. Entrou em funcionamento há oito dias, um centro de operações – um mecanismo de gestão de crise que reúne diversas áreas.

O diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, sugeriu a relação entre o zyka vírus e a anomalia congênita. Ele voltou a afirmar que as mulheres que desejam engravidar precisam estar bem informadas para tomar a decisão consciente do que realmente pode causar riscos. “O nosso papel é oferecer essas informações que permitam a cada uma dessas mulheres e das famílias que pretendem abrigar uma nova criança em seus lares que tomem essa decisão da melhor maneira possível”, diz.

Mais Lidas