SAÚDE

Acidentes com animais peçonhentos em Pernambuco já superam os de 2014

Principais atendimentos no Ceatox envolvem escorpiões e serpentes

Com informações da assessoria
Com informações da assessoria
Publicado em 19/11/2015 às 11:06
Leitura:


Durante todo o ano de 2014, o Centro de Assistência Toxicológica de Pernambuco (Ceatox-PE) realizou 968 atendimentos relacionados a acidentes com animais peçonhentos. Neste ano, já são 992 e o ano ainda nem acabou. No topo da lista, estão os casos envolvendo escorpião (602), seguido pelas ocorrências envolvem serpentes (283).

“O aumento no número de casos mostra, principalmente, que o Ceatox vem se consolidando como um importante instrumento da saúde pública pernambucana. É importante que a população saiba da existência do Centro para que qualquer caso envolvendo acidente com animal peçonhento possa ter o tratamento correto e, com isso, possam ser evitados óbitos ou sequelas no paciente”, diz a coordenadora do Ceatox, Lucineide Porto.

Em 2014, o Centro computou 629 acidentes com escorpião. Este ano já foram 602. “Os últimos óbitos por picada de escorpião registrados pelo Ceatox foram em 2012. Isso é possível por causa do encaminhamento correto do paciente para os centros de referência e por meio da descentralização do soro para mais hospitais da Região Metropolitana do Recife e do interior”, ressalta Lucineide. Atualmente, todos os hospitais regionais contam com o soro, além dos hospitais da Restauração, João Murilo e Jaboatão Prazeres, na RMR.

Além dos casos com escorpião, preocupam as ocorrências com serpentes, com 226 casos em 2014 e 283 até outubro deste ano. Em relação aos óbitos, não houve nenhum ano passado, mas já são 2 este ano. A coordenadora do Ceatox indica levar a vítima imediatamente para um hospital de referência onde há soros antiofídicos. Na Região Metropolitana do Recife (RMR), há o antídoto no Hospital da Restauração (HR). Já no interior, nos hospitais regionais do Estado. “Ainda em casa, a vítima pode lavar o local apenas com água e sabão e seguir para uma emergência. Não é indicado fazer torniquete, tomar qualquer tipo de remédio e colocar álcool e querosene no local”, diz Lucineide.

Ao encontrar uma cobra, o Ceatox indica nunca manuseá-las. Também é importante utilizar roupa de proteção individual adequada (botas e luvas) ao fazer trabalhos em locais com matos ou entulhos.

A Central de Atendimento do Ceatox funciona pelo 0800.722.6001.

Mais Lidas