POLÍCIA CIVIL

Operação Boa Sorte prende suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas no Sertão e Agreste

Dois homicídios foram evitados durante a investigação, segundo a polícia

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 01/12/2015 às 15:05
Leitura:
Os detalhes foram apresentados em coletiva, nesta terça-feira

Há cerca de seis meses quando mães começaram a procurar a Delegacia de Venturosa no Agreste, com medo de ameaças aos filhos envolvidos com tráfico de drogas, nem de longe se imaginava que por trás existia um grupo criminoso tão organizado.

Para o delegado seccional de Arcoverde, Rômulo Holanda, as denúncias desencadearam um trabalho exitoso. “Através delas a gente obteve a informação de que lá em Venturosa tinha três elementos fazendo esse tráfico, fizemos a investigação e terminamos por descobrir que eles estavam envolvidos com pessoas que já estavam recolhidas no Presídio Brito Alves”, detalhou, apontando que essas pessoas faziam parte de uma verdadeira associação criminosa

“Uma parte realizava o tráfico de drogas, outra parte era responsável por comprar a droga lá fora, para poder ser distribuída, e outros elementos eram responsáveis pela prática de assalto onde esse dinheiro era utilizado para financiar o tráfico”, completou.

Confira os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

Pesqueira, Arcoverde e Lajedo, cidades do Sertão e Agreste, também já eram alvos do tráfico de drogas e de assaltos. Tudo comandado de dentro do presídio de Arcoverde, por Francisco Assis Urbano da Silva, que é tetraplégico de nascença e com longa lista de crimes que utilizava um celular dia e noite para controlar as ações dos comandados.

Todos os detalhes da prisão foram divulgados nesta terça-feira (1º), na sede da Polícia Civil. Na Operação Boa Sorte, código utilizado pelos integrantes antes dos crimes, além do líder, sete pessoas já estavam em presídios e outras quatro foram presas durante o trabalho conjunto de militares e civis.

Ainda durante as investigações foi presa Juliana Monteiro, esposa de um dos presos que fazia toda a articulação desde a busca de drogas e contato com os detentos.

Do total de mandados de prisões, um homem e duas mulheres, identificados como sendo os mais perigosos estão foragidos. No entanto a polícia já tem a localização dos criminosos.

O delegado adiantou ainda que dois homicídios foram evitados durante a investigação. Os autuados vão responder por associação criminosa, tráfico de drogas, e associação para o tráfico e roubos.

Mais Lidas