POLÊMICA

PMs reclamam da Polícia Civil por liberar suspeitos de assassinar taxista em São Lourenço

Apenas um dos três suspeitos permanecem presos. Um homem e um adolescente suspeitos de participar da morte foram soltos por falta de provas

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 02/12/2015 às 8:55
Leitura:

Valdemir Jorge de Lima, de 38 anos, foi sepultado em Jaboatão sob clima de comoção e revolta na tarde dessa terça-feira (1º). O táxi dele, foi encontrado sem os adesivos de identificação e com marcas de batida no dia do desaparecimento, a última sexta-feira (27/11). O corpo do taxista, já em estado de decomposição, estava num matagal na localidade de Matriz da Luz, em São Lourenço da Mata.

Equipes do 20º Batalhão da Polícia Militar receberam informes sobre o envolvimento de quatro pessoas no homicídio. Dois homens foram detidos no Engenho Santa Rosa, em São Lourenço, e um adolescente apreendido em Moreno.

No entanto, apenas Roberto Gomes dos Santos foi preso. Ele carregava uma espingarda calibre 12 e não tinha autorização para ter porte. A PM diz que a morte do taxista Valdemir Jorge de Lima foi premeditada por um homem conhecido como Charles, que está foragido.

O outro suspeito e o adolescente de 17 anos foram liberados após prestar depoimentos por falta de provas. O capitão do 20º Batalhão da Polícia Militar, Waldomiro, fala da motivação para o assassinato:

Mais Lidas