RISCO

Polícia Federal investiga empresas que estariam produzindo leite adulterado em Pernambuco

Produto estaria com água em excesso e teria composição de soda cáustica, água oxigenada, urina, álcool etílico, sacarose, ácido lático e a bactéria causadora da meningite

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 04/12/2015 às 15:31
Leitura:
Polícia Federal coletou amostras de leite para análise
Foto: Divulgação/ Polícia Federal


A Operação Longa Vida da Polícia Federal que investiga a fraude em empresas de laticínios no Agreste do estado, cumpriu, nesta sexta-feira (4), quatro mandados de busca e apreensão e vários outros de condução coercitiva nas cidades de Pedra, Bom Conselho, São Bento do Una e Belo Jardim.

A Polícia Federal fez buscas em empresas suspeitas de alterar o leite industrial. O produto estaria com água em excesso e teria composição de soda cáustica, água oxigenada, urina, álcool etílico, sacarose, ácido lático e a bactéria causadora da meningite.

As investigações das fraudes começaram em março por causa da possibilidade de envolvimento de um funcionário do Ministério da Agricultura na facilitação do esquema de adulteração.

O superintende da Polícia Federal em Pernambuco, Marcello Diniz Cordeiro, afirma que o suspeito já foi identificado. “Nós vamos ver agora essa responsabilização realmente dele. Num determinado momento, ele vai ser indiciado. Mais de 30 pessoas estão sendo conduzidas para a Polícia Federal ou, de repente, serem ouvidas no próprio local sobre como funcionava essa questão no determinado laticínio”, explicou.

Confira outros detalhes na reportagem de Henrique Santos:

A divulgação do nome das empresas investigadas não foi autorizada pela Justiça Federal de Garanhuns, onde o inquérito tramita. A adulteração de leite é crime. A pena varia entre 4 a 8 anos.

Mais Lidas