GUERRA AO AEDES

Na campanha contra o mosquito, secretário afirma que o importante é transformar orientação em prática

A partir desta segunda-feira (7), 200 soldados do exército vão atuar, junto aos agentes de saúde

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 07/12/2015 às 16:06
Leitura:
Foto: Isabela Dias/ Rádio Jornal

O combate ao mosquito Aedes aegytpi ganhou um novo reforço. A partir desta segunda-feira (7), 200 soldados do exército vão atuar junto aos agentes de saúde, orientando a população para evitar a proliferação do mosquito que transmite dengue, chicungunha, além do Zika vírus, que está relacionado ao aumento dos casos de microcefalia no estado.

Os bairros de Campo Grande, Alto do Mandu, Santo Amaro, Iputinga, Areias, Pina, Alto José Bonifácio e Cohab vão ser os primeiros a receber as visitas.

Nesta segunda, o prefeito do Recife Geraldo Júlio reuniu secretários para apresentar as ações de combate ao Aedes aegypti. Entre as medidas adotadas estão os mutirões para acabar com os focos do mosquito e recolher entulhos, parcerias com exército, igrejas e sindicatos, e outras.

Nas residências visitadas pelos agentes, a população elogiou o trabalho feito pelas equipes e as orientações recebidas.

Confira os detalhes na reportagem de Isabela Dias:

O secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, orienta a população. “Acho que o mais importante é transformar orientação em prática. É preciso percorrer a casa em busca de potenciais focos, começando pelos reservatórios de água parada e limpa”, destacou.

Em 2015, até o mês de novembro, foram notificados mais de 25 mil casos de dengue e confirmados mais de 15 mil. De acordo com a secretaria municipal de saúde, durante 180 dias, os agentes de saúde e os soldados do exército devem visitar cerca de 420 mil imóveis de oito bairros.

Mais Lidas