INVESTIGAÇÕES

Casa de Renata Campos era destino de mandado de busca e apreensão suspenso pelo STF

Operação Catilinárias faz parte da 23ª fase da Lava Jato, que investiga corrupção na Petrobrás

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 16/12/2015 às 8:48
Leitura:

?

Foto: Edmar Melo/JC Imagem

Três mandados de busca e apreensão foram cumpridos já que o quarto foi suspenso pelo Supremo Tribunal Federal. Todo o material recolhido – documentos, discos rígidos de computador e R$ 170 mil - será encaminhado à Brasília.

Policiais federais estiveram ontem no escritório do senador Fernando Bezerra Coelho, do PSB, em Petrolina. Outra equipe da PF foi até a Fazenda Esperança, em Brejão, propriedade rural que está no espólio do ex-governador Eduardo Campos.

O terceiro mandado teve como endereço a loja de presentes Grillo, no bairro da Imbiribeira, Zona Sul do Recife, que pertence à família de Aldo Guedes. O ex-presidente da Copergás foi citado por um delator da Lava Jato como negociante de uma propina de R$ 20 milhões, que iria abastecer o “caixa dois” da campanha de Eduardo Campos à reeleição em 2010.

O quarto mandado, negado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), foi de busca e apreensão na casa de Renata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, morto em acidente aéreo durante a campanha eleitoral de 2014.

Nesta investigação, o nome do senador Fernando Bezerra Coelho surgiu no depoimento do ex-presidente da Camargo Correa, Dalton Avancini.

Ademar Rigueira, advogado de Aldo Guedes, informa que só irá se pronunciar após ter acesso ao inquérito. Em nota, Bezerra Coelho acredita “no pleno esclarecimento dos fatos” e diz que está “à disposição para colaborar.

O chefe de Comunicação da Polícia Federal em Pernambuco, Giovani Santoro, afirma que mandado judicial se cumpre:

Mais Lidas