JUSTIÇA

Julgamento de radialista executado em Carpina é realizado depois de 10 anos

Familiares e amigos da vítima estão aliviados com o fim da espera pelo júri popular adiado em outras cinco oportunidades

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 16/12/2015 às 15:20
Leitura:

Quatro homens acusados de matar o radialista e vereador João Cândido há 10 anos, em Carpina, na Zona da Mata do estado, começaram a ser julgados nesta quarta-feira (16), no Fórum Rodolfo Aureliano, na área central do Recife.

Familiares e amigos da vítima estão aliviados com o fim da espera pelo júri popular adiado em outras cinco oportunidades. Karolinne Amorim, filha do radialista, falou antes do início do júri em tom de alívio. “Graças a Deus agora vai mesmo. Agora vai ter o júri. A gente espera que seja com a condenação”, disse, apontando ainda que toda a família e toda a sociedade carpinense estão ansiosos com o desfecho.

Edílson Soares Rodrigues, Tairone César da Silva Pereira, André Luiz Carvalho, ex-policiais militares, e Jorge José da Silva respondem por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e caso sejam condenados a pena pode ser de até 30 anos.

Confira as informações na reportagem de Rafael Carneiro:

Para o promotor do Ministério Público de Pernambuco, Roberto Brayner, todo os acusados estão ligados ao crime. Ele revelou ainda que o início do julgamento é apenas o primeiro passo do caso, no sentido de colocar os mandantes do crime também no banco dos réus.

José Siqueira, defensor do cabo André, nega a participação do cliente. “Ele não tem nada a ver com a acusação que está sendo formulada na denúncia. Nós vamos negar qualquer envolvimento com o fato”, afirmou.

O júri popular teve início com escolha do conselho de sentença formado por quatro homens e três mulheres. Em seguida, o juiz Jorge Luiz dos Santos Henriques proferiu a acusação e começou a ouvida de Jorge José da Silva.

Nesta tarde, acusação e defesa vão para a tarde de debates, o que deve durar pelo menos sete horas.

Mais Lidas