POLÍTICA

Incerteza na política da Espanha

O dia dos partidos políticos no pós-eleição foi de fazer contas

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/12/2015 às 2:23
Leitura:
Imagem: Internet

Na Espanha, o dia dos partidos políticos no pós-eleição foi de fazer contas. Todo mundo com a caneta na mão, porque nenhum dos 4 principais candidatos alcançou o número de cadeiras suficiente no parlamento, para eleger o novo primeiro ministro na Espanha. Essa eleição acontece no final de janeiro, depois da posse dos deputados no Congresso. No sistema parlamentar, quem vota no presidente do governo são os deputados. Então nesse caso, o candidato vencedor tem que ter 176 votos no parlamento.

Mesmo com suas cooperações pensadas durante todo o dia, nenhum deles consegue alcançar esse número. Se tem agora um cenário de incerteza e ingovernabilidade. Os principais líderes europeus, reunidos em Bruxelas, estão olhando pra Espanha com muita cautela e pedindo que formem um governo estável, mas parece que não vai ser muito fácil.

Confira o flash de Taísa Brito:

O atual primeiro ministro, Mariano Rajoy, do conservador PP, foi quem venceu as eleições com 123 deputados. Em segundo lugar ficou o PSOE com 90 deputados, e em terceiro o novo partido, o Podemos de Pablo Iglesias, que ficou com 69 cadeiras. Para finalizar, em quarto lugar ficou o Ciudadanos com 40 deputados. A primeira votação, o candidato tem que ter uma maioria simples, ou seja 50% + 1 dos votos. E depois, se não conseguir se eleger, o congresso convoca uma nova eleição 48 horas depois, e vence o candidato que tiver maioria simples, ou seja maior números de votos a favor.

O segundo colocado Pedro Sanchez, já disse na Espanha que não vai votar em Mariano Rajoy. Na Espanha, o que se vive hoje, é um cenário que não se sabe quem vai governar a partir de fevereiro.

Mais Lidas