CAOS NA SAÚDE

Neurocirurgiões entregam oficialmente os cargos no Hospital Pelópidas Silveira

Pelos próximos 30 dias, 11 neurocirurgiões vão manter os plantões, depois eles deixam a Instituição

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 29/12/2015 às 15:31
Leitura:
Foto: Simepe


Com o fim das conversas entre a direção do Hospital Pelópidas Silveira e médicos neurocirurgiões, os profissionais entregaram os cargos nesta terça-feira (29).

Pelos próximos 30 dias, 11 neurocirurgiões vão manter os plantões, depois eles deixam a Instituição. Já depois desse período a população deve ser prejudicada, como adianta a médica Simone Batinga, que trabalha no setor desde a abertura do serviço em 2011. “Diminuiu o número de vagas de UTI, diminuiu a possibilidade de cirurgias eletivas, diminuiu os insumos, os materiais para fazer as cirurgias e os procedimentos médicos, e o número de leitos”, contou.

Desde o início do mês o hospital já havia demitido três neurocirurgiões dentro do plano de contingenciamento. Mas de acordo com os médicos o funcionamento começou a ser prejudicado há cerca de seis meses, como falou o neurocirurgião Davi Lopes.

Confira os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

O Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) tem acompanhado a situação. O diretor Walber Steffano disse que os 60 leitos de UTI foram reduzidos pela metade e lamenta. “O Simepe encara isso como uma verdade tristeza. Principalmente por que foi um fechamento de serviço”, disse, destacando além do desemprego, principalmente, a população afetada.

Em nota, o Hospital Pelópidas Silveira afirmou que por conta da crise financeira teve que adotar medidas para ajustar as metas de serviço. A unidade lamenta a decisão dos profissionais e informa que todos os esforços serão feitos para recompor as escalas.

Mais Lidas