OLINDA

Grupo pede paz em protesto contra assassinato de estudante paraibano durante festa de réveillon

Ruan Gonçalves Dantas, de 17 anos, foi morto a socos e pontapés. Até agora, a Polícia não conseguiu identificar os autores do crime contra o adolescente

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 04/01/2016 às 7:32
Leitura:
Imagem: reprodução/internet


Muita gente saiu pelas ruas do Bairro Novo, em Olinda, com bandeiras brancas para pedir justiça e investigação pela morte de Ruan Gonçalves Dantas, de 17 anos. Ele foi espancado por vários rapazes, na madrugada do dia 1º de janeiro, durante as comemorações da festa da virada do ano.

Segundo informações de amigos do jovem, o grupo se aproximou de Ruan, depois que uma mulher afirmou ter sido assediada por ele. Ruan foi morto com vários chutes e socos no rosto.

O jovem, que estudava na Escola Pintor Manoel Bandeira, também no Bairro Novo, já chegou sem vida ao Hospital Tricentenário, que fica no Sítio Histórico de Olinda, há poucos quilômetros do local. Sem se identificar, uma das amigas do adolescente falou que o carisma era uma das principais características de Ruan.

Ruan foi enterrado, no último sábado (2) na cidade de Sousa, no sertão da Paraíba, sua terra natal. Até agora, a Polícia não conseguiu identificar os autores do crime contra o adolescente.

Os requintes de crueldade do caso chamaram a atenção da comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores de Olinda. O presidente da comissão, vereador Marcelo Santa Cruz, defende a apuração rigorosa da morte do jovem.

Mais Lidas