SAÚDE

Chefe do setor de neurologia do HR afirma que morte da jovem indígena ainda precisa ser analisada

De acordo com a declaração de óbito, entre as causas indicadas está a Síndrome de Guillain-Barré

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 07/01/2016 às 14:05
Leitura:
Foto: Reprodução/ TV Jornal

Um dia após a morte da adolescente Daniele Marques de Santana, de 17 anos, o Hospital da Restauração prestou esclarecimentos sobre o caso, em coletiva realizada nesta quinta-feira (7).

Daniele, que era de etnia indígena, morreu na UTI do HR na manhã dessa quarta-feira (6). De acordo com a declaração de óbito, assinada pelo médico Jânio Euller, entre as causas indicadas, está a Síndrome de Guillain-Barré.

No documento, também constam outras três causas: choque séptico, característico de infecção generalizada, pneumonia e quadro de paralisia nos membros inferiores e superiores, além de arbovirose.

A chefe do setor de neurologia do HR, Lucia Britto, explica que a Síndrome de Guillain-Barré é uma das hipóteses da morte da jovem e que o caso ainda está sendo analisado. “Nós temos uma paciente que apresenta uma paralisia flácida, com antecedência de um quadro viral. Sem dúvidas que levantamos as possibilidades possíveis e dentre elas, sem dúvidas, o Guillain-Barré, mas não é a principal causa possível implicada nesta paciente”, esclareceu.

Isabela Dias traz os detalhes:

A médica justifica a necessidade da análise mais detalhada do caso. “A paciente tem outras infecções que podem ser outras infecções virais ou bacterianas. E ela apresentava algumas taxas, logo de princípio, onde ela foi atendida inicialmente, de uma enzima muscular que se elevou muito nos primeiros momentos da doença”, apontou.

A neurologista disse ainda que a jovem apresentou quadro de febre e dor muscular e o primeiro internamento ocorreu em um hospital de Pesqueira, no Agreste do estado, onde Daniele morava. Com a gravidade do caso, no dia 27 de dezembro, ela foi transferida para o Hospital Regional do Agreste, em Caruaru. No dia 28, a jovem deu entrada no HR, sendo encaminhada à UTI adulto.

A Síndrome de Guillain-Barré é uma doença rara que atinge em média uma pessoa a cada 100 mil habitantes. Em 2015, até o mês de junho, 52 casos da doença foram confirmados em Pernambuco e nove mortes. Em quatro casos, houve confirmação de infecção pelo zika vírus.

Mais Lidas