VIOLÊNCIA CONTRA MULHER

Suspeito de estuprar bióloga em Noronha teria forçado demissão para deixar a ilha

Vítima disse em depoimento que saía de uma festa quando foi abordada pelo homem. Família do homem alega inocência

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/01/2016 às 14:22
Leitura:
Detalhes do caso foram apresentados nesta segunda-feira (18)
Foto: Clarissa Siqueira/ Rádio Jornal

A bióloga de 30 anos, que teria sido vítima de um estupro na Ilha de Fernando de Noronha, no último dia 09, disse em depoimento à Polícia Civil que saía de uma festa quando um homem desconhecido a puxou pelo cabelo, bateu no rosto dela e a obrigou a subir em uma moto. Na Praia do Bode, local deserto da ilha, ele teria abusado sexualmente da vítima e a agredido novamente.

Todos os detalhes do crime foram divulgados pela Polícia Civil nesta segunda-feira (18), em entrevista coletiva. O inquérito do caso foi concluído e as investigações apontam Nelson Tiago de Paula Lopes, de 33 anos, como o estuprador. Ele foi detido seis dias depois que teria acontecido o fato, no bairro de Boa Viagem, no Recife.

De acordo com a polícia, Nelson estava há apenas 15 dias no arquipélago para trabalhar como cozinheiro em uma pousada. O delegado João Paulo de Andrade, responsável pela investigação, diz que a mudança de comportamento dele chamou atenção. Para sair da ilha sem ser percebido, após o ocorrido, o suspeito forçou ser demitido ao chegar bêbado e atrasado ao trabalho. “Ele sair da ilha porque ele provocou a rescisão contratual dele, chegando embriagado ao local do trabalho, sendo dispensado. Por duas vezes ele chegou atrasado e foi dispensado no local de trabalho dele porque não tinha condições de atender o cliente”, detalhou.

Confira os detalhes na reportagem de Clarissa Siqueira:

A Polícia Civil aguarda agora o resultado de laudos do Instituto de Medicina Legal (IML), que podem apontar outros detalhes do possível estupro, a exemplo de material genético. A bióloga, que trabalha no Parque Nacional Marinho da ilha, já voltou a rotina e tem apoio de psicólogos fornecidos pela Secretaria da Mulher do Estado.

A secretária da pasta, Silvia Cordeiro, fala que qualquer vítima de violência sexual deve seguir o exemplo da bióloga e denunciar os crimes no mesmo dia do fato. “Nós da Secretaria da Mulher temos uma rede de serviços. O estado de Pernambuco hoje tem 166 municípios com coordenadoras municipais de políticas para as mulheres. Temos 53 centros de referência para atender as mulheres no ponto de vista psicológico e no ponto de vista judicial”, destacou.

Dados da secretaria apontam que até junho de 2015, 1.149 mulheres foram vítimas de estupro em Pernambuco. Nenhum caso tinha sido registrado em Fernando de Noronha.

Nelson Tiago de Paula Lopes vai responder pelo crime de estupro, considerado hediondo, e pode pegar pena que varia de oito a 18 anos de reclusão. Ele aguarda o julgamento no Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.

A família de Nelson Tiago alega inocência e disse que vai procurar a imprensa ainda nesta segunda-feira (18) para defender o suspeito.

Mais Lidas