NA JUSTIÇA

Frente de Luta pelo Transporte Público vai ingressar com ação para anular aumento de tarifas

Os novos valores pagos pelos usuários de transporte público da Região Metropolitana do Recife já estão em vigor

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 19/01/2016 às 6:06
Leitura:
Foto: Guga Matos/Arquivo JC Imagem


Definidos pelo Conselho Superior de Transporte Metropolitano e arredondados pela Agência de Regulação de Pernambuco (ARPE), os novos valores das passagens de ônibus da Região Metropolitana do Recife já estão em vigor nesta terça-feira (19). O aumento de 14,42% fica acima da inflação do período, que foi de 10,67%.

Em valores reais, o anel "A", que antes era de R$ 2,45 passa a valer R$ 2,80. O anel "B" passa de R$ 3,35 para R$ 3,85. O "D" sai de R$ 2,65 e agora vale R$ 3,00. O anel "G", que antes custava R$ 1,60, vale agora R$ 1,85.

Aos domingos, com a passagem reduzida, os anéis "A", "D" e "G" passam a valer R$ 1,40. O "B" a partir de agora vale R$, 1,95. Veja como foi a repercussão nas ruas com a reportagem de Rafael Carneiro:

O secretário das Cidades e presidente do Conselho, André de Paula, afirma que o reajuste é necessário para o funcionamento do sistema. “Eu não comemoro por uma pressão de princípios, mas, o fato de a gente ter tido uma decisão madura mostra que podemos continuar ouvindo o usuário”, relata.

Representante dos usuários do transporte público, Clayton Leal afirma que o aumento não é garantia de melhora nos serviços. “Nos últimos anos, a gente tinha um aumento de acordo com o IPCA e a gente esperava que o aumento fosse de acordo com o índice, que já era alto. O próprio governo sabe que a qualidade do serviço está horrível”, diz. Ele também acredita que a população vai ficar chateada por ter sido prometido, durante a campanha eleitoral, que a tarifa seria de R$ 2,15.

De acordo com o representante do Conselho Estudantil, Márcio Morais, a Frente de Luta pelo Transporte Público de Pernambuco realizou uma assembleia na noite de ontem para definir ações que anulam o aumento. “Nós entremos com um pedido de liminar para suspender e, posteriormente, anular a decisão”, explica.

Também ficou definido um ato para a próxima sexta-feira (22), com saída da Praça do Derby, a partir das 18h. Até o dia do movimento, vão ser realizadas panfletagens e orientações aos usuários do transporte público nos terminais integrados e no metrô.

Mais Lidas