INSEGURANÇA

Número oficial de fugitivos da Penitenciária Professor Barreto Campelo é de 53 detentos

A Secretaria de Ressocialização não divulgou o número de reeducandos que retornaram à unidade de segurança máxima

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/01/2016 às 6:29
Leitura:
Foto: Rafael Carneiro/Rádio Jornal


A lista com os nomes dos 53 reeducandos que fugiram da Penitenciária Barreto Campelo, que fica na Ilha de Itamaracá, já foi repassada a Justiça, Ministério Público e polícias Militar e Civil. Pelo menos dois deles lideravam facções de dentro da cadeia e são considerados criminosos de alta periculosidade. A Secretaria Executiva de Ressocialização (SERES) não divulgou o número de reeducandos que retornaram à unidade de segurança máxima.

Um grupo armado fez vários disparos contra os seguranças de uma guarita enquanto outro abria um buraco no muro na noite dessa quarta-feira (20). A Polícia Militar montou uma força tarefa com bloqueios nos acessos a Ilha a fim de recapturar os fugitivos.

Com o bloqueio na ponte que liga Itamaracá à Itapissuma, quatro homens foram presos acusados de ajudar na fuga em massa. Eles foram autuados e levados para o Cotel, em Abreu e Lima.

O buraco feito pelos detentos para a fuga foi fechado nessa quinta-feira (21) e o policiamento foi reforçado, As visitas estão confirmadas para o final de semana.

A Penitenciária Professor Barreto Campelo foi inaugurada em 13 em dezembro de 1973 nas terras do Engenho Macaxeira. A unidade de segurança máxima contava, antes da fuga em massa, com 2.024 homens, mas tem capacidade para abrigar apenas 600, ou seja, uma superlotação de quase 400%.

A Secretaria de ressocialização informa que será construído em caráter de urgência um outro muro de proteção. Serão R$ 2 milhões para montar uma estrutura de 2,15 metros de espessura de concreto armado. O secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, explica que a muralha vai abraçar o muro atual. “O governador me autorizou a realizar o processo com a dispensa de licitação por conta da urgência”, diz.

Nos últimos seis meses, a Penitenciária Barreto Campelo, mesmo considerada de segurança máxima, vem sendo palco de fugas de presos. Numa delas, homens não identificados utilizaram explosivos para abrir um buraco no muro da guarita.

Chama a atenção na mais recente fuga em massa o fato de guaritas estarem desativadas em alguns pontos da unidade prisional. O secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, não considera que houve falha na segurança. “Colocar mais policiais em muralha é retirar policiais das ruas”, diz.

Nesta sexta-feira, o promotor da Vara de Execuções Penais, Marcelus Ugiete, vai agendar uma reunião extraordinária. A proposta é discutir ações emergenciais com o secretário Pedro Eurico e o juiz da segunda Vara de Execuções Penais, Cícero Bittencourt.

Com a quarta maior população carcerária do pais, o estado busca amenizar o problema com duas medidas. A primeira é a licitação para construir um presídio em Araçoiaba, no Grande Recife, com 2.400 vagas. A segunda é a retomada da construção de Itaquitinga, após o cancelamento da Parceria Público Privada.

Os moradores da Ilha de Itamaracá estão assustados com a fuga em massa da Barreto Campelo. O município tenta, sem sucesso, desde 2004 na Justiça a saída das três unidades prisionais. O advogado Ricardo Cabral, responsável pelo trâmite judicial diz que a fuga era questão de tempo:

Mais Lidas