ESTIAGEM

Chuvas no interior não animam meteorologistas sobre o fim da seca

Segundo as análises, o período chuvoso não garante a continuidade das chuvas

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 25/01/2016 às 7:55
Leitura:
Foto: Reprodução/Internet

As chuvas dos últimos dias, no interior de Pernambuco, não animam meteorologistas sobre o fim da seca. A referência é o município de Petrolina, no Sertão, a aproximadamente 700km do Recife. Em janeiro, choveu mais de 300% em relação à média esperada para o período de início de ano.

Já em relação aos reservatórios, permanece em colapso a barragem de Jucazinho, em Surubim, com apenas 1,7% da capacidade.

Em Pirapama, no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, o inverso, com mais de 60 milhões de metros cúbicos de água.

A explicação dos meteorologistas para este momento de chuva é o fenômeno chamado vórtice ciclônico em altos níveis. O El Niño, que é o aquecimento das águas do oceano pacífico na área próxima ao Peru, também contribui para o janeiro chuvoso.

Francis Lacerda, meteorologista do Instituto Agronômico de Pernambuco, alerta para o fato de que este fenômeno não garante a continuidade das chuvas:

Mais Lidas