ENTREVISTA

Crise no Sistema Penitenciário será resolvida em médio e longo prazo, diz governador Paulo Câmara

Gestor afirmou que não tem previsão para que o Complexo Penitenciário seja desativado. Socialista lembrou que o Estado está em processo de construção de três unidades prisionais

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 26/01/2016 às 9:38
Leitura:
Foto: Arquivo/JC Imagem

Em meio a mais uma crise no Sistema Penitenciário, Paulo Câmara é enfático ao responder que não tem dinheiro para desativar o Complexo Prisional do Curado. “Temos que ter muita serenidade de tratar esse tema”, disse o governador de Pernambuco em entrevista exclusiva ao comunicador da Rádio Jornal, Wagner Gomes.

Nesta terça-feira (26), o socialista afirmou que é a prioridade construir novas unidades, como a de Tacaimbó e o de Araçoiaba, mas o Estado vai precisar de mais vagas. “Vamos ter que fazer isso a médio e longo prazo”, completou. Ouça a entrevista completa:

Sobre o pedido para desativação do Complexo do Curado, Paulo Câmara explicou que ele foi concebido em outra época, quando se construía presídios grandes e em área de concentração urbana. “A gente sabe que não vai resolver, mas estamos procurando melhorar o sistema”, disse.

Paulo Câmara também comentou o excedente de dententos no Estado, que conta com uma população carcerária de mais de 32 mil pessoas, considerado o Estado com maior superlotação do País, já que só tem 11.196 vagas. "Não tem dinheiro pra se construir essa quantidade de vagas que se necessita", afirma.

Para combater a crise, o governador acredita que é necessária a mudança no sistema penal. “O promotor Marcellus Ugiette tem razão quando diz que o modelo do curado esta esgotado”, diz. “Vamos buscar estratégias para minimizar o aumento do número de presos. Como só prender quem realmente tem necessidade de estar preso, por oferecer perigo à sociedade”, explica.

Sobre os investimentos, Paulo Câmara diz que são R$ 160 milhões em recursos investidos em Araçoiaba agora. Lá, apesar do presídio ser de grande capacidade, a estrutura pensada é de maneira a evitar todo o contato do reeducando com a área externa. “Até mesmo os banhos de sol são feitos dentro dos pavilhões”, afirma. O prazo de entrega deste projeto é de mais dois anos.

Já para Tacaimbó, o prazo é que seja entregue em março deste ano. A unidade terá capacidade para 676 pessoas. Até novembro do ano passado, o presídio de Tacaimbó apresentava 90% das obras concluídas.

Em relação à Itaquitinga, o governador afirmou que se trata de uma questão judicial, é uma ppp que o privado nao cumpriu sua parte. Ou vamos ter que utilizar recursos públicos ou talvez tenhamos que ver um novo parceiro para terminar essa obra.

Sobre o momento difícil que o Estado vive, Paulo Câmara afirma que o governo está se preparando para realizar um carnaval de paz. Também será reforçado o esforço para reduzir a transmissão de doenças pelo Aedes aegypti e eliminar os focos de reprodução do mosquito. "Estamos nos planejando para um carnaval de paz, como foi ano passado", completa.

Mais Lidas