TERAPIA DO RISO

ONG Doutores da Alegria começa a levar o carnaval para crianças nos hospitais de Pernambuco

Há 10 anos, os palhaços da ONG levam a folia de momo para quem não pode estar nas ruas

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 26/01/2016 às 15:37
Leitura:
Foto: Clarissa Siqueira/ Rádio Jornal

Até o dia três de fevereiro, em cinco hospitais do Grande Recife o som vai ser diferente. Fantasias a postos e marchinhas na ponta da língua o carnaval chega aos corredores das unidades de saúde com o bloco Miolinho Mole, dos Doutores da Alegria.

Há 10 anos, os palhaços da ONG levam a folia de momo para quem não pode estar nas ruas. O cortejo do Miolinho começou nesta terça-feira (26) no Hospital Universitário Oswaldo Cruz, área central do Recife. Na próxima quinta-feira, dia 28, é a vez do Instituto de Medicinal Integral Professor Fernando Figueira (Imip) receber os besteirologistas. Na sexta-feira (29), o bloco vai até os adultos, na Santa Casa de Misericórdia. Dia primeiro de fevereiro, o Hospital da Restauração recebe o Miolinho Mole e por último, no dia 3, a brincadeira é no Hospital Barão de Lucena.

Ouça a reportagem completa de Clarissa Siqueira e saiba outras informações:

O coordenador artístico do Doutores da Alegria, Arilson Lopes, fala das novidades este ano. “O Hospital Santa Casa de Misericórdia, na sexta-feira, vai ser o hospital visitado e lá só se atende adultos. Então é um desafio para Doutores encontrar esse público. Está sendo uma expectativa muito boa”, contou.

Para quem participa, o bloco é uma grande expectativa. As crianças, fantasiadas, se agitam, correm para fora dos quartos. De outras portas e andares surgem mais pacientes, pais, médicos, cozinheiros, lavadeiras, seguranças... Logo uma grande clareira se abre e todos dançam juntos ao som do frevo.

Um dos pacientes, Júlio Cesar Araújo, tem 10 anos, mede um metro e trinta e cinco e pesa um pouco mais de 30 quilos. Mas porque falamos da altura e peso dele? Porque ele, bem magrinho, foi eleito como o Rei Momo do hospital. Aquele mesmo, conhecido por ser grande e gordo, o oposto do menino. Ele revelou que o que mais gostou foi das brincadeiras e que conseguiu o título “dançando”.

E assim segue o cortejo de palhaços pelas alas pediátricas, pedindo passagem com o estandarte do “Bloco Mais Bobinho do Mundo”.

Mais Lidas