Polícia prende dupla suspeita de participar de assaltos a agências bancárias no estado

Imagens da câmera de segurança do Banco do Brasil na Encruzilhada mostram o momento em que Renato e Ítalo chegam ao local fingindo serem clientes

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/01/2016 às 15:20
Leitura:
Dupla é suspeita de assaltar agência do Banco do Brasil, no bairro da Encruzilhada
Foto: Google Street View

Renato de Almeida Gonçalves, de 26 anos, e João Ítalo Moreira Soares, de 20, foram presos dois meses depois de terem supostamente participado de um assalto a agência do Banco do Brasil, no bairro da Encruzilhada, Zona Oeste do recife. O crime foi no dia 12 de novembro do ano passado e teve ainda a participação de outros quatro suspeitos.

De acordo com a Polícia Civil, Renato seria o mentor da ação e é suspeito de ter organizado outros dois assaltos a banco no estado, um no bairro do Parnamirim, no mês novembro e outro no município de Goiana, na Zona da Mata Norte, em dezembro.

Imagens da câmera de segurança do Banco do Brasil na Encruzilhada, divulgadas nesta quarta-feira (27), mostram o momento em que Renato e Ítalo chegam ao local fingindo serem clientes. Depois que a porta detectora de metais é travada os outros suspeitos chegam com reféns e quebram o vidro da porta com uma marreta.

Clarissa Siqueira traz os detalhes:

O titular da Delegacia de Roubos e Furtos, Paulo Berenguer, detalha o assalto e diz que os suspeitos são ousados e violentos. “Eles são ousados e são violentos. Inclusive utilizando marreta para quebrar a porta da agência bancária. Eles não fizeram de rogados e atuaram com bastante violência. A ação durou, pouco menos, de cinco minutos e a partir daí quando consumaram o roubo eles fugiram nas duas motocicletas e num ônix escuro que ficava aguardando do lado de fora”, detalhou.

Foram roubados no assalto três armas dos vigilantes e um pouco mais de R$ 38 mil. O delegado Paulo Berenger aponta como seguem as investigações do caso para prender os outros quatro suspeitos do crime. “O fato de nós termos prendido dois elementos dessa associação é positivo para o curso da investigação, mas nós vamos continuar as diligências para investigar os outros quatro que estão envolvidos”, disse. “Apesar do João Ítalo e do Renato não terem antecedentes criminais a gente pode dizer que houve muita ousadia na divisão de tarefas”, finalizou.

Renato de Almeida e João Ítalo Moreira foram encaminhados para o Complexo Prisional do Curado, onde aguardam julgamento. Eles foram indiciados pelo crime de assalto, com agravante de uso de arma de fogo, concusso de pessoas e restrição de liberdade das vítimas, já que houve reféns na ação.

Mais Lidas