APÓS O VENDAVAL

"A rede foi destruída parcialmente", justifica diretor presidente da Celpe

Após quase 72 horas da passagem do fenômeno vórtice ciclônico consumidores permanecem sem energia

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 01/02/2016 às 13:50
Leitura:
Foto: Ricardo Labastier/ JC Imagem

O fenômeno climático que atingiu Paulista, Olinda, Jaboatão dos Guararapes e Recife, com mais intensidade, ainda prejudica nove mil clientes, nesta segunda feira (1), 72 horas depois do ocorrido. De acordo com a Celpe até o final do dia o restabelecimento vai ser finalizado.

O diretor presidente da companhia, Antônio Carlos Sanches, explicou que os ventos fortes que chegaram a 80 km/h e a chuva ocasionaram a queda de árvores, fachadas e outdoors sobre circuitos de alta tensão destruindo a rede de elétrica. “O trabalho é complexo. A rede não foi simplesmente afetada, não é um defeito comum. A rede foi destruída parcialmente. Mais de 100 postes quebrados, transformadores, chaves religadoras, vários dispositivos foram destruídos”, detalhou. “O nosso trabalho não é de manutenção. Nós estamos reconstruindo a rede em vários locais”, completou.

Mais 35 transformadores ficaram avariados. Uma situação que precisou contar com a participação de equipes de técnicos do Rio Grande do Norte. O trabalho da Celpe contou com a participação da Emlurb.

Confira os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

Para que os chamados fossem atendidos, antes uma equipe equipada com motosserra era chamada para remover árvores e entulhos, e forma muitas caídas, 174 no total. Na promessa de Fernanda Batista, diretora da Emlurb, o processo deve ser finalizado até final desta semana. “Fizemos um planejamento ainda na madrugada da sexta-feira (29) e identificamos a necessidade de trabalhar em cima de 174 vias que foram bloqueadas decorrentes de queda de árvores”, contou. “Nesta mesma madrugada, fizemos uma mobilização onde a gente aumentou de 6 equipes para 16 equipes e atuamos durante dia e noite durante o final de semana”, relatou Fernanda, apontando ainda que, em dois dias, foi feito um trabalho que seria feito em 30 dias. 141 vias foram liberadas.

E se a falta de energia fez com que mais de 500 mil clientes ficassem sem luz, o mesmo problema atingiu 25 subestações de água e destas três ainda estão sem funcionar. A Compesa informou que no máximo até sexta-feira (5) todo o sistema vai estar funcionando normalmente, no entanto pediu que os clientes fiquem atentos ao calendário de abastecimento do local.

Mais Lidas