SAÚDE

Aguardando repasse de verbas, funcionários do Hospital Maria Lucinda permanecem de braços cruzados

Segundo os profissionais, se o depósito suficiente para pagar apenas os salários do mês de dezembro for confirmado, as atividades devem ser normalizadas amanhã

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 03/02/2016 às 14:36
Leitura:
Foto: Rádio Jornal

As emergências pediátricas e ortopédicas do Hospital Maria Lucinda, amanheceram mais uma vez, com as portas fechadas. A unidade de saúde que fica no bairro de Parnamirim, na Zona Norte do Recife, é referência em assistência pediátrica da rede municipal da cidade. Com a paralisação, que acontece desde ontem (2), cerca de cem crianças ficaram sem atendimento. Na manhã desta quarta-feira (3), os profissionais de saúde realizaram um protesto.

Usando faixas e cartazes, eles fecharam a Avenida Parnamirim para manifestar a insatisfação diante do atraso no pagamento de salários e férias, desde novembro do ano passado. Ontem, os funcionários foram informados que o valor de R$ 1,5 milhão seria repassado pela Secretaria de Saúde do Recife, para quitar parte do débito.

O médico Mable Benevides fala sobre a situação vivida. “Estamos sem receber desde novembro. Na verdade, a gente recebeu 50% do salário de novembro e está sem receber o restante, dezembro e janeiro”, destacou. “Fica extremamente complicado para a equipe, os funcionários. Tem gente que depende única e exclusivamente do salário daqui do Maria Lucinda”, diss.

Cibelly Melo traz os detalhes:

Segundo os profissionais, se o depósito que é suficiente para pagar apenas os salários do mês de dezembro, for confirmado, as atividades devem ser normalizadas nesta quinta-feira (4). O superintendente do Hospital Maria Lucinda, Luiz Alberto, fala sobre o assunto. “Eu estou trabalhando junto aos médicos e aos funcionários para que, no mais tardar amanhã, a gente tenha esse serviço aberto”, falou. “Eu preciso visualizar esses depósitos para sinalizar de uma forma definia para eles dessa normalização”, apontou o superintendente.

Em nota, o secretário Executivo de Administração e Finanças, Felipe Bitencourt, informou que o ajuste no sistema de pagamento dos convênios realizados no período de dezembro a janeiro gerou um atraso no repasse aos conveniados.

Ele disse ainda, que o sistema está sendo normalizado e até esta quarta-feira a verba para o Hospital Filantrópico Maria Lucinda será repassada. A unidade, tem 800 funcionários, entre médicos, enfermeiros, auxiliares de limpeza e conservação, além de seguranças.

Mais Lidas