DECISÃO

Após mais dois anos, Justiça decide hoje caso do torcedor do Náutico baleado nos Aflitos

Lucas Lyra foi baleado em 2013, por um segurança que, mesmo depois de confessar ter feito o disparo, continua em liberdade

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 17/02/2016 às 7:28
Leitura:
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

A justiça decide nesta quarta-feira (17) se o segurança que atirou no torcedor do Náutico, há três anos, em frente ao estádio dos Aflitos, na Zona Norte do Recife, vai para o banco dos réus. Lucas Lyra, hoje com 22 anos, continua internado em um hospital, mas em breve contará com um “home care”.

Os custos dos equipamentos de saúde na residência serão bancados pela empresa de ônibus Pedrosa e pelo Grande Recife Consórcio. O segurança José Carlos Feitosa Barreto confessou ter feito o disparo, mas atualmente está em liberdade.

Na tarde desta quarta-feira (17), o Tribunal de Justiça de Pernambuco decide se acata o recurso do acusado e, assim, cancela o júri popular. Caso a sentença de pronuncia seja mantida, o suspeito será julgado por tentativa de homicídio contra a vítima.

Familiares e amigos da vítima vão realizar, no Fórum do Recife, na Joana Bezerra, um ato contra a impunidade. A irmã da vítima, Mirela Lyra, se queixa da demora da justiça, o que reforça o sentimento de impunidade. “Meu irmão luta pela vida num leito de hospital há três anos, enquanto o segurança vive uma vida normal, livre. Espero de todo o meu coração que ele vá a júri popular”, comentou.

Mais Lidas