HOMICÍDIO

Terceiro suspeito de assassinar radialista de Lagoa de Itaenga está no presídio de Vitória de Santo Antão

Com o fim das investigações, ficou descartada a hipótese de crime político

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 17/02/2016 às 14:36
Leitura:
Mailson dos Santos Silva foi encontrado utilizado uma
documentação falsa
Foto: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal

Foi preso nesta quarta-feira (17), o terceiro suspeito de ter participado do assassinato do radialista Israel Silva. O crime ocorreu em Lagoa de Itaenga, município localizado na Zona da Mata Norte, em novembro do ano passado. Mailson dos Santos Silva, de 27 anos, estava morando em uma casa alugada no município de São Joaquim do Monte, no Agreste, há duas horas de viagem do local do crime.

A equipe de policiais do delegado João Gaspar titular de Lagoa de Itaenga monitorou por dois dias as ações do procurado pela justiça até prendê-lo. “O inquérito já havia sido concluído e já havia acontecido a prisão do Kita e Fabinho e a partir do momento em que nós estávamos diligenciando na intenção de localizar Mailson, que era tido como a pessoa que efetuou o disparo de 12, ele conseguiu se evadir e foi residir no município de São Joaquim do Monte”, detalhou o delegado.

“Lá ele conseguiu uma documentação falsa em nome de uma outra pessoa e passou a residir naquele município. Alugou um imóvel, inclusive, eram dois imóveis que ele alugou e uma pessoa lá da localidade desconfiou. Acredito que viu as imagens divulgadas pela imprensa na época do crime e entrou em contato com nossa delegacia e nós fomos até lá em São Joaquim e conseguimos constatar que era ele”, completou o delegado.

Rafael Carneiro traz os detalhes:

Mailson confessou em depoimento ter efetuado o disparo fatal de espingarda calibre 12 e no momento do cumprimento da prisão preventiva estava utilizando uma identidade falsa com o nome de Tiago Costa Bezerra.

Israel foi morto em novembro de 2015
Foto: Reprodução/ Facebook

Além desta captura, o delegado especial do caso, Pablo de Carvalho já havia chegado a “Kita”, Henrique Luiz da Silva Ferreira, de 28 anos, autor de cinco disparos de revólver calibre 38 e Fabinho, o Fábio Ricardo da Silva Santos, de 21 anos, que indicou os passos do radialista até a morte em uma papelaria da cidade.

Com o fim das investigações, ficou descartada a hipótese de crime político, como explica João Gaspar. “O que ficou esclarecido é que a motivação teria sido vingança em razão do radialista fazer os noticiários a respeito de sua ação criminosa aqui no município”, disse.

Mailson foi encaminhado para a unidade prisional de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata Sul, e agora fica à disposição da justiça para responder pelo crime que chocou a cidade. Ao calar o microfone, na rádio comunitária, Israel Silva deixou esposa e dois filhos adolescentes.

Mais Lidas