DESCASO

Grávidas, acompanhantes e funcionários denunciam caos na Maternidade Barros Lima

Além da falta de médicos, banheiras de recém-nascidos são usadas para aparar água que cai do ar-condicionado, falta fio de sutura para dar ponto e não tem roupa de cama

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/02/2016 às 18:07
Leitura:
Foto: Lélia Perlim/ Rádio Jornal


Funcionários e usuários da Maternidade Barros Lima, em Casa Amarela, na Zona Norte do Recife, denunciam as condições precárias de atendimento na unidade. Faltam médicos, lençóis, fio cirúrgico para sutura e os recém-nascidos aguardam por horas para tomar o primeiro banho.

A superlotação é notada já na recepção da maternidade com gestantes tendo que aguardar em pé o atendimento. No anonimato, o marido de uma gestante que está com pouco mais de 9 meses relata que chegou por volta das 5h e no início da tarde a esposa dele ainda não havia sido atendida. “Ela passou pela triagem, aí ficaram de chamar ela para ser avaliada e até agora não foi chamada”, disse. “Inclusive, quando a gente chegou, já tinha gente que estava desde às 20h (de ontem) aguardando atendimento. Uma jovem de 17 anos que já tinha rompido a bolsa, tinha perdido líquido e tava com dilatação”, acrescentou, dizendo que os funcionários falam que só tem dois médicos.

Confira a denúncia no flash de Lélia Perlim:

A Secretaria de Saúde do Recife informou que com a queda de energia o equipamento autoclave travou com todo o material para esterilização dentro dele, prejudicando a reposição de materiais. Contudo não procede a denúncia de que que esteja faltando linha de sutura e água. A direção da unidade esclarece ainda que dois médicos da escala estão doentes.

Mais Lidas