MICROCEFALIA

Médicos de três estados realizam mutirão na AACD para mapear outras causas e consequências da microcefalia

Segundo o geneticista e terapeuta celular, Rodrigo Neves Florêncio, entre as finalidades do novo estudo está a de descobrir até que ponto o Zika vírus está relacionado com a microcefalia

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 19/02/2016 às 16:35
Leitura:
Foto: Reprodução


Quarenta crianças com microcefalia participam nesta sexta-feira (19) de um mutirão com quatro médicos geneticistas de Pernambuco, Ceará e São Paulo na AACD, na Ilha Joana Bezerra, área central do Recife. Os profissionais de saúde vão coletar dados da má formação e confrontá-los com o material disponível na literatura médica.

Segundo o geneticista e terapeuta celular, Rodrigo Neves Florêncio, entre as finalidades do novo estudo está a de descobrir até que ponto o Zika vírus está relacionado com a microcefalia. “A gente sabe que há uma provável relação [do vírus] com a microcefalia, mas há também chances de outras malformações estarem associadas”, disse.

Lélia Perlim traz os detalhes:

A mãe de um bebê com microcefalia, atendido no mutirão, Maria Verônica dos Santos, fala da esperança de que os novos estudos tragam melhoria no tratamento das crianças. “Mas esperança de dar uma qualidade de vida melhor para o João Guilherme. Como mães, ver o filho falando, andando e brincando como outras crianças, é maravilhoso”, falou.

No mutirão, as mães são entrevistadas e as crianças passam por novas análises clínicas, ressonância e exames de sangue. A tarefa é apresentar em meses um relatório apontando se há ou não outros fatores que contribuem para os casos de microcefalia, além do Zika vírus.

Mais Lidas