SAÚDE

Médicos geneticistas participam de mutirão de atendimento a bebês com microcefalia

A ação, que acontece na sede da AACD em Recife, vai atender 40 crianças, que serão reexaminadas

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 19/02/2016 às 10:49
Leitura:
Foto: Guga Matos/JC Imagem

Nesta sexta-feira (19), um mutirão de atendimento é realizado na Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), para atender 40 crianças com microcefalia na sede da instituição, no bairro de Joana Bezerra, em Recife. Participam da ação quatro médicos geneticistas, de Pernambuco, Ceará e São Paulo, que vão coletar dados da má-formação e confrontá-los com o disponível nos registros médicos.

O geneticista e terapeuta celular Rodrigo Neves Florêncio conta que o objetivo do mutirão é conhecer melhor a capacidade do vírus da zika e causar a microcefalia. “Sabemos que há uma possível relação do vírus com a microcefalia, mas que há também chances de outras más-formações também, como a artrogripose, a ancilose, catarata e outras alterações neurológicas”, comentou.

Na ação, as mães das crianças serão entrevistadas e as crianças passarão por nova análise clínica, ressonância e exame de sangue. A tarefa deste mutirão é apresentar em meses um relatório sobre outros fatores que contribuem para o aumento no número de casos de microcefalia, além do zika vírus.

Mais Lidas