OPINIÃO

Brasil reduz produção de cédulas e moedas e afeta comércio na hora do troco

Confira o comentário de Ecio Costa na coluna Economia e Negócios desta segunda-feira

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/02/2016 às 13:51
Leitura:

A crise que afeta o país fez encolher a produção de cédulas e moedas. A informação é do Banco Central que aponta que o valor total das cédulas e moedas em circulação no país cresceu apenas 2,1% em 2015. Esta é a menor expansão desde a criação do Plano Real, em 1994. Por conta da falta de moedas circulando, comerciantes enfrentam dificuldades na hora de passar o troco.

O economista Ecio Costa comenta que este é um problema que, independente da crise, já existe há muito tempo no Brasil. “A gente tem muito pouco hábito de andar com moedas na mão. Cédulas também, mas principalmente moeda. E isso dificulta muito o comércio, principalmente lanchonetes, aqueles estabelecimentos que não aceitam cartão, que não aceitam cheque”, apontou o economista. “A utilização dessas moedas como troco é muito importante e a gente tem visto que as pessoas terminam retendo muito isso em casa”, destacou.

Confira os detalhes na coluna Economia e Negócios desta segunda-feira (22):

O hábito de manter moedas em casa, em cofres, por exemplo, força o governo a fabricar novas moedas para jogar em circulação. “Isso representa um custo alto. Essa despesa entre 2014 e 2016 somou em torno de R$ 1,35 bilhão, somente com a emissão de moedas e cédulas. E como nós estamos tendo um período de recessão muito forte o governo está ameaçando produzir menos moedas e jogar menos moedas na circulação da economia brasileira”, acrescentou, dizendo que isso dificultará ainda mais a vida desses estabelecimentos comerciais.

Mais Lidas