RECIFE

Hospital da Restauração investiga morte de paciente com sintomas de zika e Guillian-Barré

Médicos investigam se Ana Paula do Carmo Pereira da Silva também teve dengue e chicungunha

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/02/2016 às 8:54
Leitura:
Foto: Ezequiel Quirino/TV Jornal


Reportagem de Rafael Carneiro

A recifense Ana Paula do Carmo Pereira da Silva, 27 anos, era supervisora de atendimento de um hotel no Cabo de Santo Agostinho. Ela faleceu na madrugada do sábado (20) para o domingo (21) após diversas complicações em um quadro de invecção viral. Na declaração de óbito de Ana Paula constam como causas prováveis da morte choque séptico respiratório, pneumonia hospitalar, síndrome de Guillan-Barré, exantema febril (que são doenças que apresentam manchas ou erupções cutâneas), além de miocardite e miosite.

De acordo com o marido de Ana Paula, Vitor Pereira, ela começou a sentir dor no corpo, febre e inchaço nas articulações logo depois do natal. Ela foi levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no Cabo e foi diagnosticada com dengue. Uma semana depois, ela voltou a ser levada a um posto de saúde no bairro de Nossa Senhora do Ó, em Ipojuca, e para a UPA da Caxangá.


No Hospital da Restauração, exames clínicos demonstraram que a jovem teve zika, dengue e chicungunham, as três arboviroses transmitivas pelo mosquito Aedes aegypti. A supervisora também foi diagnosticada com sintomas da síndromde de Guillian-Barré. Com a evolução do quadro, Ana Paula foi transferida para a UTI, onde contraiu uma pneumonia hospitalar, que evoluiu para o choque sépico.

O corpo de Ana Paula está sendo velada neste momento no cemitéio de Santo Amaro, área central do Recife. O enterro acontece às 14h no mesmo local.

Mais Lidas