PREOCUPAÇÃO

Famílias reclamam que sintomas da síndrome de Guillain-Barré não estão sendo levados a sério

Pelo menos três mortes ocorridas em fevereiro têm como causas investigadas a doença autoimune

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 25/02/2016 às 5:51
Leitura:
Os três óbitos investigados aconteceram no Hospital da Restauração. Equipe médica está investigando as causas. Foto: divulgação


O caso mais recente é o do recepcionista Arthur da Silva, de 33 anos, que faleceu na última terça-feira (23), com suspeita da síndrome de Guillain-Barré. Os parentes denunciam negligência no tratamento e dizem que os médicos classificam como virose todo paciente que apresenta os sintomas da doença.

Arthur procurou um hospital particular com dor no corpo, febre e dificuldades nos movimentos. Ele foi atendido e liberado. O estado de saúde complicou e o rapaz teve que ser encaminhado ao Hospital da Restauração.

Os familiares afirmam que, com o agravamento do caso, Arthur reclamou de fraqueza muscular nas pernas, perda de sensibilidade nas mãos e braços, dores e dificuldade para respirar. Os sintomas são da síndrome de Guillain-Barré, uma doença autoimune que pode ser associada a processos infecciosos, como dengue, chicungunha e zika. O sogro do recepcionista, Anibal Cassiano, afirma que os médicos não diziam nada sobre a gravidade do caso.

O Hospital da Restauração informa que a causa da morte de Arthur da Silva consta como desconhecida. O laudo do Serviço De Verificação de Óbito (SVO), que vai responder às dúvidas, será conhecido em dez dias.

Já a família de Ivaldo Alves da Costa, de 53 anos, não se conforma com a morte do metalúrgico. Ele morreu há nove dias no Hospital da Restauração. A síndrome de Guillain-Barré é uma das três causas apontadas no atestado de óbito.

Os parentes denunciam que ele procurou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sotave, em Jaboatão dos Guararapes, três vezes antes de parar no Hospital da Restauração. Na upa, sintomas como febre, dores e dificuldades de alimentação foram diagnosticados como virose.

De acordo com os familiares, o caso se quer foi notificado à Secretaria Estadual de Saúde. Filho do metalúrgico Ivaldo, Emerson Alves da Costa, relembra o sofrimento nos últimos dias do pai.

O Hospital da Restauração deve se posicionar sobre a morte de Ivaldo Alves da Costa e a síndrome de Guillain-Barré nesta quinta-feira (25). A UPA de Sotave faz parte da rede municipal de saúde de Jaboatão e também deve divulgar nota oficial hoje.

Outra morte investigada é a de Ana Paula do Carmo Pereira, 27 anos, supervisora de recepção de um hotel. Ela faleceu na madrugada do sábado (20) para o domingo (21) após diversas complicações em um quadro de infecção viral. Na declaração de óbito de Ana Paula constam como causas prováveis da morte choque séptico respiratório, pneumonia hospitalar, síndrome de Guillan-Barré, exantema febril (que são doenças que apresentam manchas ou erupções cutâneas), além de miocardite e miosite.

Mais Lidas