PARALISAÇÃO

Antes mesmo de começar, Justiça considera greve dos servidores do Detran ilegal

A decisão foi tomada a pedido da Procuradoria Geral do Estado, que estima perda de até R$ 200 mil por dia de arrecadação para o órgão

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 04/03/2016 às 5:12
Leitura:
Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem


A decisão foi tomada na noite dessa quinta-feira (3) pelo desembargador Marco Maggi, que acatou pedido da Procuradoria Geral do Estado. Ele considerou a paralisação dos servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) abusiva.

Na decisão, o magistrado alegou que a greve prejudica a população, além de trazer perdas de mais de R$ 200 mil por dia na arrecadação do órgão. Ele determina, ainda, que o Sindicato dos Servidores do Detran pague multa de 30 mil reais, por cada dia de descumprimento da decisão judicial.

Em assembleia na última segunda-feira (29), os servidores do Detran decidiram paralisar as atividades a partir desta sexta-feira (4) até à sexta-feira da semana que vem, dia 11 de março. Eles pedem reposição de perdas salariais e o cumprimento integral do plano de cargos, carreiras e vencimentos. Hoje, o atendimento nos postos do Detran está sendo realizado de modo parcial.

Em contraponto aos servidores, o diretor-presidente do Detran, Charles Ribeiro, comemorou a decisão da Justiça. Para ele, o órgão atendeu a todos os pedidos da categoria.

A reportagem da Rádio Jornal não conseguiu contato com o presidente do sindicato dos servidores do Detran, Alexandre Bulhões, para comentar a liminar judicial.

Mais Lidas