Polícia Federal cumpre 24ª fase da Operação Lava Jato na casa do ex-presidente Lula

Lula é alvo de mandado de busca e apreensão e de condução coercitiva. Ação acontece também no Instituto Lula

SÃO PAULO

Da Rádio Jornal

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil


A Polícia Federal realiza a 24ª fase da Operação Lava Jato no prédio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na manhã desta sexta-feira (4). Lula é alvo de mandado de busca e apreensão e de condução coercitiva - quando o investigado é obrigado a depor. Os carros da PF chegaram à sua casa, em São Bernardo, por volta das 6h. Ação acontece também no Instituto Lula.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, Lula foi levado de sua casa, mas não será ouvido em São Paulo. Os advogados dele tinham entrado com habeas corpus, mas ele valia só para São Paulo e não para Curitiba, de onde despacha o juiz federal Sérgio Moro. Por causa disso, o ex-presidente Lula deve prestar depoimento no pavilhão da Polícia Federal no Aeroporto Internacional de Congonhas.

Logo depois da condução de Lula, uma confusão entre militantes pró-petista, pessoas que estavam no local para comemorar a operação e curiosos. A Polícia Militar foi chamada para conter os ânimos. Mais detalhes com Romoaldo de Souza:

[uolmais_audio 15787686]

De acordo com a Polícia Federal, cerca de 200 agentes e 30 auditores da Receita Federal cumprem, ao todo, 44 mandados judiciais no Rio de Janeiro, em São Paulo e na Bahia. Deste total, 33 mandados são de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva (quando a pessoa é levada para prestar depoimento). Rafael Souza traz os detalhes:

[uolmais_audio 15787628]

A comentarista política do jornal Estado de São Paulo, que tem uma coluna semnal na Rádio Jornal, conversou com Geraldo Freire nesta sexta-feira. Para ela, os acontecimentos políticos vivenciados fazem de hoje um dia triste.

Batizada de Aletheia, esta fase da ação investiga se empreiteiras e José Carlos Bumlai, pecuarista preso pela Lava Jato, favoreceram Lula por meio do sítio em Atibaia e o tríplex no Guarujá. Na capital paulista, há também agentes da PF no Instituto Lula e na Odebrecht. Há mandados para Atibaia e Guarujá, onde estão sítio e tríplex, respectivamente, além de Santo André e Manduri.

Em nota, o Instituto Lula repudiou a ação e questionou a necessidade de uma condução coercitiva. Veja um trecho da nota:

"A violência praticada hoje (4/3) contra o ex-presidente Lula e sua família, contra o Instituto Lula, a ex-deputada Clara Ant e outros cidadãos ligados ao ex-presidente, é uma agressão ao estado de direito que atinge toda sociedade brasileira. A ação da chamada Força Tarefa da Lava Jato é arbitrária, ilegal e injustificável, além de constituir grave afronta ao Supremo Tribunal Federal".

Para ler a nota completa, clique aqui.

TAGS

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

CONTINUE LENDO