FEMINICÍDIO

Empregada Doméstica Karina Santos pode ter sido assassinada pelo próprio chefe

Corpo que seria da jovem de 26 anos terá que passar por exame de DNA para confirmar identidade

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 07/03/2016 às 7:21
Leitura:
Imagem: reprodução/TV Jornal


Nesta segunda-feira (7), o delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, Mauro Cabral, concede entrevista para falar sobre a morte da empregada doméstica, Karina Francisca Santos da Silva, de 26 anos. Ela estava desaparecida há mais de um mês e pode ter sido encontrada morta na última sexta (4), às margens da BR-232, entre as cidades de Jaboatão e Moreno.

No mesmo dia, o bombeiro José Itamar dos Santos, de 48 anos, confessou ter assassinado a mulher e foi preso em flagrante. Ele levou os policiais até um terreno onde teria escondido o corpo. Segundo o delegado Mauro Cabral, o homem teria buscado Karina em casa no dia 22 de janeiro, dia do seu desaparecimento, antes do horário de trabalho dela. Eles teriam conversado e tido uma discussão. No meio da briga, José Itamar teria puxado um revólver e efetuado dois disparos na vítima. Confira mais detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

Karina trabalhava na casa de uma família no bairro do Arruda, Zona Norte do Recife, há cerca de 8 anos. Em entrevista à TV Jornal, a auxiliar de padeiro Maria Luiza Santiago, amiga de Karina, afirma que ela era funcionária de José Itamar. O suposto relacionamento amoroso dos dois teria começado há quase 7 anos.

“Ela era doméstica na casa. Cuidava das três filhas dele e, algumas vezes, ajudava a mulher dele no salão de beleza dela”, disse. De acordo com Maria Luiza, ninguém desconfiava que o bombeiro poderia praticar algum mal contra Karina. “Ele a tratava muito bem. Nunca imaginamos isso”, completou.

Depois do desaparecimento da doméstica, o Disque-Denúncia chegou a oferecer uma recompensa de até R$ 2 mil para quem tivesse informações sobre o paradeiro de Karina. Na época, a polícia também procurou em câmeras da Prefeitura do Recife e estabelecimentos, no percurso onde Karina poderia ter passado, mas nenhuma imagem da mulher foi registrada.

Para comprovar se o corpo é mesmo de Karina, já que o cadáver estava em avançado estado de decomposição, será necessário realizar exames de DNA. A identificação deve acontecer no IML nos próximos dias.

Mais Lidas