ESPECIAL

No Dia Internacional da Mulher, conheça a história de mães de pequenos anjos

Valdete, Germana, Claudia, Daniela, Gleice e Silvana são mães de bebês com microcefalia e compartilham suas histórias com a Rádio Jornal

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 08/03/2016 às 11:51
Leitura:
Foto: Arquivo/JC Imagem


A Rádio Jornal traz hoje, 8 de março de 2016, a primeira parte de uma série de reportagens especiais apresentadas por Clarissa Siqueira. "Mães de Anjos - A Vida das Mulheres com Bebês com Microcefalia em Pernambuco" vai trazer as experiências de mães que vivem de perto a realidade do surto de microcefalia no Estado.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado, foram notificados 1.672 casos de microcefalia em Pernambuco entre outubro de 2015 e fevereiro de 2016. Desses casos, 1.008 são no interior, onde a mulher, muitas vezes, tem que sair com a criança em busca de atendimento médico.

Esse é o caso de Valdete da Silva Torres, 24. Ela é mãe de Ana Júlia, que tem 4 meses. Duas vezes por mês, ela sai de Petrolândia, no Sertão do Estado, e segue ao Recife para que a filha, que tem microcefalia, seja atendida por médicos do Instituto Materno Infantil de Pernambuco (IMIP). Lá, são atualmente atendidos 150 mães e bebês com a condição. Valdete leva uma madrugada toda para ir e outra para voltar. Ela teve que deixar o emprego para cuidar de Ana Júlia.

Germana era corretora de imóveis. Teve o pequeno Guilherme, atualmente com quatro meses e, agora, diz que vai ser apenas mãe para o resto da vida. Eles moram em Ipojuca, no litoral Sul. Já Claudia foi abandonada pelo marido enquanto estava grávida de Miguel. Isso tamém aconteceu com 70% das mulheres que tem filhos com deficiência no Brasil, segundo estudo do Instituto Baresi. O auxiliar de pedreiro Carlos Augusto Ferreira não aceitava que Miguel, hoje com cinco meses, fosse nascer com microcefalia. Felizmente, Carlos se arrependeu e não sai mais do lado de Claudia e do filho. O sonho dele é que Miguel cresça e tenha uma profissão.

Segundo pesquisas ainda elaboradas nos centros médicos da capital pernambucana, as mulheres entram em choque depois do nascimento de uma criança com microcefalia. Em seguida, ficam resignadas com a situação do filho ou filha. Confira a primeira parte da reportagem especial de Clarissa Siqueira abaixo. Amanhã, na segunda e última parte da série, mais histórias de mulheres e informações sobre o papel dos médicos do governo na ajuda às mães e como elas se uniram para superarem as dificuldades dos filhos.

Mais Lidas