MAUS TRATOS

DPCA aguarda laudos periciais para iniciar apuração sobre caso de bebê queimado com garfo

A criança começou a apresentar um comportamento estranho desde que começou a ficar sob os cuidados da mulher

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 10/03/2016 às 16:29
Leitura:
Queimado com garfo, a suspeita é de que o crime tenha sido cometido pela tia
Foto: TV Jornal


A Polícia Civil aguarda o resultado do exame de corpo de delito realizado na criança de nove meses vítima de queimaduras de garfo em Jaboatão dos Guararapes, para dar início às investigações do caso.

As várias marcas espalhadas pelo corpo do bebê foram percebidas pela mãe, na última terça-feira (8), depois que ela voltou do trabalho e pegou a criança e outros dois filhos na casa da cunhada, no bairro de Prazeres.

A mulher, que era paga para tomar conta dos três irmãos há um mês, negou ter cometido o crime, como relata a mãe das crianças. “Ela disse que estava lavando roupa e deixou o fogão no fogo. Ela disse que minha menina pegou o garfo, esquentou no fogo e botou na pele dele”, contou. “Se ela tivesse botado na pele dele, ele tinha gritado e ela [a cunhada] teria ido socorrer”, apontou a mãe.

Confira os detalhes na reportagem de Lélia Perlim:

Segundo a mãe, a criança começou a adotar um comportamento estanho e chorava toda vez que ia para os braços da tia.

O conselheiro tutelar Jason Clemente acompanhou a mãe do bebê até o Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente, onde a queixa foi prestada. Ele relata a mudança de comportamento da criança, possivelmente provocada por causa dos maus tratos sofridos. “Faz um mês que ele tá com essa cuidadora e a mãe viu seu filho mudar o aspecto. Ele era risonho e hoje não tem mais esse sorriso. E toda vez que ela deixa lá, a criança não quer ficar”, relatou, acrescentando ainda que a criança estava cheia de hematomas nos órgãos genitais por conta da falta de higiene.

Mais Lidas