INVESTIGAÇÃO

Polícia acredita que número de Jeeps furtados da montadora em Goiana seja maior do que o registrado

A Fiat registrou até o momento a falta de 10 veículos furtados

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 11/03/2016 às 16:16
Leitura:
Foto: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal

A Polícia Civil descobriu um esquema de furtos de veículos Jeep, no pátio da montadora em Goiana, na Zona da Mata Norte do estado, com o envolvimento de um ex-funcionário da fábrica.

O chefe de produção, com livre acesso na montadora, Denis Ferreira Lima, de 25 anos, retirava veículos do modelo Jeep Renegade e entregava para intermediários encarregados de vender esses veículos.

Um deles é o José Antônio da Silva Filho de 29 anos. Os dois foram ouvidos e negaram a participação. De acordo com o delegado Eduardo Aniceto, da Delegacia de Roubos e Furtos, eles ficam em liberdade já que não houve flagrante.

A situação começou a ser exposta a partir da prisão de Rodrigo Siqueira de Lima, de 33 anos, comerciante da Campina do Barreto, na Zona Norte do Recife que havia comprado três veículos deste modelo.

Nesta quarta-feira (9), o próprio Rodrigo procurou o Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), em Afogados, para tentar registrar um veículo no Detran. O procedimento chamou a atenção do agente que realizou o atendimento, como explicou o delegado da Roubos e Furtos de Veículos, Diego Acioli.

Confira os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

Ao constatar que os veículos não estavam no pátio da montadora com capacidade para armazenar 5.500 unidades, a polícia foi até a padaria do receptador e descobriu mais outros dois Renegade com placas falsas, adquiridos por R$ 40 mil cada.

A Fiat registrou até o momento a falta de 10 veículos furtados. A polícia não descarta a possibilidade de o número ser bem maior e orienta ainda que pessoas que tenham adquirido automóveis desse modelo a baixo do preço de mercado devem procurar o Depatri.

Mais Lidas