POLÍCIA FEDERAL

Ex-deputado Charles Lucena pode ser condenado a até 12 anos de reclusão

Ex-parlamentar foi preso temporariamente nesta terça-feira (15) para prestar esclarecimentos sobre os desvios de dinheiro dos Ministérios da Agricultura

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 15/03/2016 às 15:51
Leitura:
Legenda


Investigado pela Polícia Federal em Pernambuco por desvio de recursos públicos, o ex-deputado federal e ex-vereador do Recife, Charles Lucena, pode ser condenado a até 12 anos de reclusão por formação de quadrilha, peculato e apropriação indébita, crime caracterizado por posse de objeto de outra pessoa.

O ex-parlamentar foi preso temporariamente nesta terça-feira (15) para prestar esclarecimentos sobre os desvios de dinheiro dos Ministérios da Agricultura e Turismo. A Operação Remenda, deflagrada pela Polícia Federal, apontou que Charles Lucena teria encaminhado esses recursos, adquiridos por emendas parlamentares, para uma Organização Não Governamental (ONG) de fachada.

A ONG Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Institucional (IBDI) encaminhava as verbas para instituições terceirizadas, que repassava o dinheiro de volta para assessores do ex-deputado.

O delegado da Polícia Federal responsável pela investigação, Wagner Menezes, detalhou que o esquema foi detectado após rastreamento financeiro do dinheiro que detectou a volta do dinheiro aos assessores do deputado.

Confira os detalhes na reportagem de Clarissa Siqueira:

A investigação começou a partir de uma fiscalização de rotina da Controladoria Geral da União (CGU). O chefe da CGU em Pernambuco, Victor de Souza Leão, a IBDI realizou apenas alguns serviços.

Durante a operação foram cumpridos ainda outros quatro mandados de prisão temporária e um de prisão preventiva. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados pela polícia. Treze mandados de busca e apreensão foram realizados em Pernambuco e em mais três estados.

De acordo com o superintende da Polícia Federal, Marcelo Diniz Cordeiro, entre os anos de 2010 e 2011, foram feitos onze convênios entre os ministérios e a falsa ONG.

A Polícia Federal continua as investigações e procura por outras duas pessoas possivelmente envolvidas no esquema de desvio. O prejuízo estimado é de mais de R$ 4 milhões aos cofres públicos.

Charles Lucena foi deputado federal pelo PTB entre os anos de 2009 e 2010, assumindo o cargo como suplente depois da morte de Carlos Wilson. Em 2010, ele se tornou ilegível, acusado de abuso de poder econômico envolvendo outra ONG de serviços educacionais.

Mais Lidas