EDUCAÇÃO

Professores de Pernambuco vão aderir à greve nacional da educação

Docentes das redes estadual e municipal devem ficar fora das salas de aula até a próxima quinta-feira

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 15/03/2016 às 6:29
Leitura:
Ato nacional pela educação aconteceu em Pernambuco na última sexta-feira (11). Foto: Divulgação/CNTE


A partir desta terça-feira (15), a categoria promete não deve ir às salas de aula por conta do movimento liderado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). A paralisação pode se estender até a próxima quinta-feira (17). Eles pedem o cumprimento da Lei do Piso, além de se posicionar contra a terceirização, o parcelamento dos salários e a reorganização das escolas.

No Recife, a greve dos professores já dura uma semana, apesar da Justiça ter decretado o movimento ilegal. Os professores pedem reajuste salarial de 11,36% para todos os profissionais, além de melhorias nas condições de trabalho. Se depender do Sindicato dos Professores do Recife, eles não voltam às atividades nem tão cedo, como afirma a coordenadora geral do Simpere, Simone Fontana. “Se não está tendo aula, a culpa é toda da Prefeitura, que está se negando a abrir as negociações”, disse.

Apesar da luta dos professores, a paralisação traz prejuízos aos alunos. Na escola Josué de Castro, no centro do Recife, apenas 10 docentes estão comparecendo às aulas. Ana Paula Santos, que tem um filho de três anos matriculado lá, diz que só está havendo aulas nas quintas-feiras.

Mais Lidas