BÉLGICA

Jornalista pernambucano relata clima de tensão em Bruxelas após atentado

Nesta manhã, Bruxelas foi atingida por duas explosões no aeroporto e no metrô. São pelo menos 28 mortos e 136 feridos

Da Rádio Jornal, com informações da Agência Lusa
Da Rádio Jornal, com informações da Agência Lusa
Publicado em 22/03/2016 às 8:13
Leitura:
Foto: Fábio Jardelino/Especial para a Rádio Jornal


Pelo menos 21 pessoas morreram na manhã desta terça-feira (22) nas explosões em Bruxelas, de acordo com um balanço provisório dos bombeiros locais à agência noticiosa France Presse (AFP). As explosões registradas no aeroporto internacional e numa estação de metrô, causaram pelo menos 21 mortos, indicou um porta-voz dos bombeiros da capital belga.

De acordo com o jornalista pernambucano que está na Bélgica, Fábio Jardelino, o clima é de tensão e medo na cidade. O policiamento foi reforçado e a orientação é evitar sair de casa.

No aeroporto de Zaventem foram contados pelo menos 11 mortos e uma dezena na estação do metrô de Maalbeek, "onde se registrou uma explosão muito forte", disse a mesma fonte. "A maioria dos feridos já foi retirada dos locais, mas a situação é ainda muito caótica", afirmou.

A cidade de Bruxelas foi hoje de manhã abalada por quatro explosões, duas no aeroporto e mais duas no metrô, que fizeram pelo menos 28 mortos e dezenas de feridos.

ATENTADO SUICIDA

O procurador do rei Filipe, da Bélgica, afirmou que o aeroporto de Zaventem, em Bruxelas, foi alvo de um atentado terrorista suicida. As explosões ocorreram quatro dias depois da detenção de Salah Abdeslam, um francês de origem marroquina, único sobrevivente do comando autor dos atentados suicidas de 13 de novembro, em Paris (130 mortos).

No aeroporto, testemunhas afirmaram que ouviram disparos na área de embarque, antes de gritos de frases em árabe, seguindo-se duas explosões. O nível de alerta terrorista na Bélgica foi elevado para quatro, o máximo da escala, anunciaram as autoridades locais.

Mais Lidas