NEGLIGÊNCIA

Polícia descarta hipótese de mortes por choque em piscina de hotel

Investigação apontou que a falta de guarda vidas contribuiu para mortes na piscina de hotel em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/03/2016 às 17:02
Leitura:
Foto: Reprodução/ Google Street View


A Polícia Civil divulgou na tarde desta segunda-feira (28) dados das investigações de duas mortes ocorridas na piscina de um hotel em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, em um intervalo de 16 dias.

A primeira vítima foi o turista paulista Bruno Guilherme Ribeiro, de 20 anos, encontrado morto na piscina no dia 6 de março. Já a segunda vítima foi a pernambucana Ane Trindade Brasil Morato, de 31 anos, no dia 22.

Até agora, sete pessoas foram ouvidas no caso Bruno, entre funcionários e parentes. Perícias foram realizadas no hotel na última quinta, sexta e sábado, onde foi descartado o vazamento de energia elétrica. Com isso, a polícia descarta a morte por descarga elétrica, por que também teve o apoio do laudo preliminar do IML que não encontrou lesões provocadas por essa eletro pressão.

Confira os detalhes no flash de Lélia Perlim:

Delegado Carlos Couto, da Delegacia de Boa Viagem, disse que foi feita uma longa investigação no que se refere a perícia, principalmente, se a piscina do hotel atende todas as normas técnicas da ABNT e também da legislação estadual. “Agora, é fato, a piscina não ter guarda-vidas ela contribuiu para ambos os eventos”, destacou o delegado. “O administrador do hotel pode responder por homicídio culposo pela negligência em cumprir a norma estadual”, disse.

Uma reprodução simulada deve ser realizada na próxima quarta-feira (30) no hotel.

Mais Lidas