POLÍTICA

Deputados de Pernambuco que ocupam governo devem voltar para a Câmara

Caso impeachment de Dilma seja aprovado, secretários Felipe Carreras, Danilo Cabral, André de Paula e Sebastião Oliveira devem assumir cargos de deputados para votar

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 29/03/2016 às 5:22
Leitura:


Os secretários do Governo do Estado devem reassumir cargos na Câmara Federal, caso o Congresso Nacional decida pela continuidade do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. A decisão foi tomada, em comunicado oficial, pelos secretários de Turismo, Felipe Carreras, de Planejamento, Danilo Cabral, e das Cidades, André de Paula. “A gente gostaria de voltar à Câmara para poder marcar essa posição e votar na sessão emblemática e se afirmar como partido e tomar essa decisão importante”, afirmou o secretário de Turismo ao Blog de Jamildo.

Deputados querem voltar aos coargos para os quais foram eleitos caso o impeachment siga em frente

Os secretários vão conversar com o governador Paulo Câmara para decidir os últimos detalhes. Sebastião Oliveira, de Transportes, se reúne com o governador nesta terça-feira e também deve tomar essa decisão. Caso reassumam seus mandatos, os deputados suplentes Augusto Coutinho, Fernando Monteiro, Raul Jungmann e Cadoca deixam a casa e não participam da votação.

Deputados suplentes que perderm o cargo os secretários voltem para a Câmara

Eles foram eleitos com o voto do povo nas eleições de 2014, mas assumiram cargos no estado para alojar aliados do governador Paulo Câmara na Câmara Federal. Importante dizer que isso só vai acontecer, caso a comissão do impeachment, em vigor agora, decida dar continuidade ao processo de afastamento de Dilma Rousseff.

Caso o processo siga em frente, o impeachment de Dilma será decidido pelo plenário do Congresso, formado por 513 parlamentares. A votação deve acontecer entre os dias 16 e 17 de abril.

Mais Lidas