AÇÃO CONJUNTA

Polícias Federal e Militar prendem quadrilha de assaltos a bancos

Três homens foram presos em flagrante, tentando assaltar uma agência em São Lourenço da Mata. Um quarto membro do grupo continua foragido. A

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 30/03/2016 às 15:18
Leitura:
Quarto suspeito está foragido
Foto: Clarissa Siqueira/ Rádio Jornal


Estão no Cotel, em Abreu e Lima, três homens presos em flagrante ao tentar assaltar uma agência bancária em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife. Acássio Silva de Santana, de 28 anos, Hilton Souza Silva, de 27, e Alexsandro Chagas de Santana Marques, de 29 anos, foram detidos pela Polícia Federal com o apoio do 20º Batalhão da Polícia Militar nessa terça-feira (29).

Os detalhes da prisão foram divulgados nesta quarta (30), em coletiva de imprensa realizada na sede da Polícia Federal, no bairro do Recife. O chefe de comunicação do órgão, Giovani Santoro, detalha como a quadrilha agia e de que forma ocorreu a prisão do trio. “Nós já vínhamos investigando essa quadrilha e a participação dela há mais ou menos, três meses. Investiam sempre contra agências dos correios, bancárias e também alguns comércios no centro do Recife”, explicou Giovani.

Arma encontrada com o grupo
Foto: Divulgação

Segundo ele, as equipes da Polícia Federal receberam a informação através da investigação de que eles iriam investir contra a agência de São Lourenço da Mata. As equipes ficaram aguardando a chegada do grupo, que estava no carro prisma, prata.

Assim que eles saíram do veículo, as equipes abordaram os homens. Houve troca de tiros e um dos homens conseguiu fugir.

Confira os detalhes na reportagem de Lélia Perlim:

Os três integrantes da quadrilha já tinham antecedentes criminais por tráfico de drogas e assalto. Com eles foram apreendidas armas, munições, celulares, um carro, uma caixa com ferramentas que seriam utilizadas para arrombar o cofre do banco e algemas para contenção de funcionários e clientes. O grupo ainda pretendia utilizar o fardamento de uma empresa da construção civil para servir de cobertura na ação criminosa planejada durante uma semana.

O trio foi autuado por tentativa de roubo, associação criminosa e porte ilegal de arma. Caso sejam condenados, podem pegar penas que variam de 4 a 20 anos de reclusão.

Mais Lidas