SAÚDE

Ritmo da dengue desacelera, mas continua crescendo em relação a 2015

Até o dia 26 de março, 45.117 casos suspeitos da doença foram notificados. Suspeitas de zika chegam a 7.166 e de chicungunha batem 13.947

Com informações de assessoria
Com informações de assessoria
Publicado em 30/03/2016 às 6:33
Leitura:


O novo boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde revela que, entre os dias 3 de janeiro e 26 de março, foram notificados 45.117 casos suspeitos de dengue, chegando a 6.448 confirmações. O aumento no número de casos suspeitos foi de 48,17% em relação ao mesmo período de 2015, quando foram notificados 30.450, mas houve uma redução no número de confirmações, que, no ano passado, chegou a 15.450.

A Secretaria também confirmou 303 dos 13.947 casos notificados de chicungunha.Em 2015, foram notificados 2.605 casos suspeitos de chicungunha, sendo 450 confirmados.

Foram notificados até agora 7.166 casos suspeitos de infecção pelo zika vírus, para os quais ainda não há confirmações de casos em 2016. Em 2015, foram confirmados 46 casos de zika em 20 municípios.

MICROCEFALIA

O Estado confirmou que 273 bebês nasceram com uma malformação no cérebro nos últimos 7 meses. Outras 349 suspeitas foram descartadas. Em 99 casos, ficou comprovada a relação com a zika, em 31 testes a relação foi negativa e outros 2 exames foram inconclusivos.

Desde que a notificação de casos de gestantes com exantemas foi tornada obrigatória, no período de 2 de dezembro de 2015 a 26 de março 2016, 131 municípios do Estado notificaram 3.438 casos de gestantes com esse quadro clínico. Desse total, 18 gestantes apresentam confirmação de microcefalia intraútero.

Vale salientar que a notificação das mulheres com exantema não significa, necessariamente, que elas são casos suspeitos de dengue, chicungunha ou zika, já que outros fatores podem ter ocasionado as manchas vermelhas (rubéola, intoxicação, alergia ou alguma outra virose). O exantema também não é indicativo que a mulher terá um bebê com microcefalia.

Mais Lidas