SEGURANÇA MÁXIMA

Seres transfere detento que ameaçava juízas por redes sociais

O detento estava no Complexo Prisional do Curado. De dentro da unidade, o reeducando passou a intimidar pela internet as magistradas que o condenaram

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 04/04/2016 às 16:59
Leitura:
Detalhes foram apresentados em coletiva na Polícia Federal
Foto: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal


Vai ser encaminhado para um presídio de segurança máxima o detento Isak Francisco dos Santos, de 35 anos, acusado de ameaçar de dentro do Complexo Prisional do Curado duas juízas por meio de redes sociais.

Tudo começou quando Isak Francisco foi condenado por desviar cerca de R$ 7 milhões do Bolsa Família e seguro-desemprego, em 2013. No Complexo Prisional do Curado, na Zona Oeste do Recife, o criminoso passou a intimidar pela internet as magistradas que o condenaram.

A polícia descobriu o autor das ameaças durante a Operação Égide de Athena ou Escudo da Justiça, quando quebrou o sigilo da conta que Isak usava na internet.

O delegado da Polícia Federal, Antônio de Pádua Cavalcanti afirma que a transferência dele já foi autorizada.

Confira os detalhes na reportagem de Suellen Fernandes:

A Operação Égide de Athena que teve início no ano passado, também deu cumprimento a oito mandados de condução coercitiva de parentes de Isak, dono de provedores de internet e um advogado. Além disso, cinco mandados de busca e apreensão foram emitidos. As ações ocorreram na Região Metropolitana do Recife.

O preso pode responder por ameaça, crimes contra honra e coação, que é quando alguém usa violência ou ameaça contra autoridade ou qualquer pessoa chamada para intervir em processo judicial, policial ou administrativo. A pena pode chegar a mais de quatro anos de reclusão.

Mais Lidas