CAOS NA SAÚDE

Grávidas esperam mais de 24 horas por atendimento na Maternidade Barros Lima

Uma gestante deu à luz no banheiro da unidade e outra quase pariu no chão. A Maternidade Barros Lima tem 48 leitos e todos estão ocupados

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 07/04/2016 às 12:03
Leitura:
Foto: Rafael Carneiro/Rádio Jornal


As gestantes e os acompanhantes que procuram a Maternidade Barros Lima, em Casa Amarela, na Zona Norte do Recife, sofrem com a falta de estrutura da maternidade. Nesta quinta-feira (7), uma grávida quase teve o filho no chão, após passar mais de um dia com contrações e sem ter sido atendida pelo médico. De acordo com o pai do bebê, somente após a bolsa da esposa romper e ela entrar no parto expulsivo é que ela foi atendida.

A superlotação faz com que a espera pelo atendimento ultrapasse as 24 horas. Nessa quarta-feira (6), uma gestante pariu no banheiro do Serviço de Pronto Atendimento da Maternidade. Saiba mais na reportagem de Rafael Carneiro:

De acordo com a chefia da Maternidade Barros Lima, nesta quinta-feira, 19 pacientes procuraram a unidade em estado de pré-parto, mas a capacidade de atendimento é de apenas sete mulheres. No plantão de hoje, três médicos atendem a todos os pacientes. A Barros Lima tem 48 leitos e todos estão ocupados.

Em fevereiro, a Rádio Jornal esteve na unidade e constatou que faltam médicos, lençóis, fio cirúrgico para sutura e os recém-nascidos aguardam por horas para tomar o primeiro banho. De acordo com a chefe de atendimento da Barros Lima, Adriana Maciel, a demanda maior pelo atendimento na Maternidade se deve ao fechamento de outros serviçoes de parto na Região Metropolitana do Recife.

Mais Lidas